Coronavírus
A vacina desenvolvida pelo Instituto Gamaleja de Epidemiologia e Microbiologia apresentou excelentes resultados, com grande índice de eficácia e poucos efeitos adversos.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
sputnik-v-vacina-russa-contra-o-novo-coronavirus-covid-19-aprovada-pelas-autoridades-da-russia-1597353657442_v2_1920x1279
Vacina russa Sputnik V. | The Russian Direct Investment Fund (RDIF)/Handout via REUTERS
sputnik-v-vacina-russa-contra-o-novo-coronavirus-covid-19-aprovada-pelas-autoridades-da-russia-1597353657442_v2_1920x1279
Vacina russa Sputnik V. | The Russian Direct Investment Fund (RDIF)/Handout via REUTERS

Nesta terça-feira (24), a Rússia informou que a eficácia da vacina Sputnik V é “acima de 95%” após 21 dias da segunda dose e 42 dias após a primeira dose. O medicamento foi desenvolvido pelo Instituto Gamaleja de Epidemiologia e Microbiologia.

São 19.794 pessoas vacinadas no total. Entre estes, houve apenas 8 casos de contaminação pelo COVID-19 sete dias após a aplicação da segunda dose. Os efeitos adversos verificados foram dor no ponto de injeção e sintomas parecidos com uma gripe.

Atualmente, os russos têm capacidade de produção de 1 bilhão de doses, o suficiente para aplicar em 500 milhões de pessoas, com duas doses para cada uma.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas