Rui Falcão defende que PT legitime o golpe com outro candidato se golpistas cassarem Lula

rui falcao

A prisão do ex-presidente Lula, realizada após uma série de manobras ilegais da direita golpista, tem como objetivo afastar o maior líder popular do país das eleições deste ano e colocar o golpe em uma nova etapa. Nessa semana, o MBL entrou com um processo no TSE para tentar impedir a candidatura de Lula. Além disso, setores abutres da esquerda nacional lançaram candidatos artificiais, de modo a atrapalhar a mobilização dos trabalhadores pela liberdade de Lula.

Diante dessa tentativa da direita de excluir Lula do regime político e de curvar os trabalhadores aos pés do imperialismo, é necessária uma postura combativa da esquerda nesse momento. A imediata liberdade de Lula deve ser a reivindicação principal de todas as categorias, bem como a derrubada do governo golpista.

A clareza de que é necessária uma mobilização revolucionária, no entanto, ainda não está presente em todas as organizações da esquerda. Recentemente, Rui Falcão, que já foi presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, declarou que, caso Lula seja impedido de concorrer nas eleições, o partido deveria lançar outro candidato. Com isso faz coro com a direita golpista que vem defendendo na venal imprensa golpista que o PT abandone Lula, apoiando outro candidato da preferência da direita, como Ciro Gomes, ou lanando um candidato para ser derrotado em eleições fraudulentas que sirvam para dar alguma legitimidade a um novo presidente golpista.

A candidatura de Lula não será garantida pelo TSE ou por qualquer espírito “garantista”. A única forma de a esquerda libertar Lula, impor sua candidatura e vencer as eleições, derrotando o golpe de Estado, é na marra, por meio da ação dos trabalhadores, da juventude, de todos os explorados e de suas organizações de luta.

Lançar outro candidato seria, portanto, capitular diante do golpe que o TSE e todos os golpistas querem dar.

Nada de plano B. Contra o golpe, é Lula ou nada!