Rui Costa discursa no DOPS!
Presidente do Partido da Causa Operária convoca e participa da marcha contra o Golpe de 64, encerrando-a

Por: Redação do Diário Causa Operária

Nesta última quarta-feira (31), o Partido da Causa Operária, os Comitês de Luta Contra o Golpe e alguns setores da esquerda saíram em marcha contra a comemoração do Golpe Militar de 1964 que a Direita estava promovendo pelo país. Os atos ocorreram em todo o país reunindo centenas de militantes pelas ruas de São Paulo, Salvador, Rio de Janeiro e mais 30 cidades diferentes em todos os estados. De norte a sul do país e em algumas cidades do exterior, os militantes e simpatizantes da causa puderam ser vistos e suas palavras de ordem ouvidas.

O objetivo principal da manifestação era mostrar à Direita, aos golpistas em geral, que as ruas são, sempre foram e sempre serão o local de luta da esquerda. Reivindicar às ruas como nossas, como nosso palco de luta e resistência política. Inclusive, tanto funcionou que a direita preferiu escolher outro local para se manifestar no dia de hoje, ao ver a multidão vermelha chegando na avenida. Saímos para mostrar, também, a outros setores da esquerda, que acabou o tempo de omitir, que não existe espaço para discussões no Zoom no país onde o governo matou mais de trezentas mil pessoas. Não é possível deixar, mais, as ruas livres para a direita se manifestar sem oposição. Não é possível deixar Bolsonaro governar sem oposição. É preciso que, como hoje, mostremos presença massiva na luta político-social do país.

Na capital Paulista a manifestação se concentrou no MASP, na Avenida Paulista, e partiu para o antigo DOPS, atual memorial da resistência, e contou com participação do camarada Rui Costa Pimenta, presidente do PCO. Ao som da Bateria Zumbi dos Palmares e sob a égide das enormes faixas do partido – que ordenavam a queda de Bolsonaro e todos os golpistas, os militantes fizeram diversas intervenções (discursos rápidos) durante o percurso até o local onde milhares de pessoas foram torturadas e mortas pela ditadura militar.

Fala do companheiro Rui Costa Pimenta em São Paulo

O Departamento de Ordem Política e Social, localizado na Estação da Luz, foi principal palco das piores atrocidades já cometidas por um ser humano contra seu semelhante. E foi justamente lá que o companheiro Rui Costa decidiu fazer seu discurso, qual segue em sua íntegra:

 

“Companheiros! No dia de hoje, o presidente ilegítimo Jair Bolsonaro e os comandantes das Forças Armadas comemoraram o Golpe Militar de 1964, oficialmente, diante da passividade total de todas as instituições políticas do país. O que é que eles estão comemorando? Eles comemorando 21 anos de terror político, assassinatos, torturas e prisões ilegais! E exílio! Esmagamento da cultura nacional! Esmagamento da classe operária brasileira. É isso que eles estão comemorando. E essa comemoração é uma ameaça a todos os trabalhadores e a todo o povo brasileiro. Eles estão ameaçando um novo Golpe Militar! Bolsonaro é um Fascista que já disse várias vezes que pretende impor ao país uma ditadura! Acontece que a oposição, a esquerda nacional, está depositando suas esperanças na ideia de que a burguesia vai conter o golpe e o fascismo. Esse dia de hoje está provando que isso não vai acontecer! O STF que colocou na cadeia um deputado, que teria imunidade parlamentar, por ter defendido o AI-5 não se mexeu diante da comemoração ilegal do golpe militar de 64. Essa comemoração é ilegal! É uma defesa do Golpe, é uma ameaça aos direitos democráticos da população e o conjunto da burguesia, seus partidos políticos, a imprensa, o judiciário e o congresso nacional calaram-se completamente diante disso! O que é que os militares tem a oferecer ao país? Nós não precisamos voltar ao passado para entender o que eles estão preparando para nós por que, nesse momento, nós temos um governo que é um governo militar, um governo dominado pelos comandantes, pelos generais, pelos altos oficiais das Forças Armadas. E esse governo é responsável pelas mortes de mais 300.000 brasileiros na pandemia. Eles não fizeram absolutamente nada para conter essa pandemia. Os jornais e a esquerda acusam Bolsonaro individualmente, mas a culpa não é individualmente do Bolsonaro. O governo é formado por mais de 3.000 militares e eles já, sem ter conseguido estabelecer uma ditadura militar, sem fechar o congresso, sem fechar a imprensa, eles estão promovendo um massacre da população brasileira. Companheiros! O que aconteceu hoje em Brasília com a comemoração oficial do Golpe de 1964 é um aviso para toda a esquerda nacional e as organizações dos trabalhadores. Nós temos que entender que, se nós não nos organizarmos, se nós não sairmos à rua, se nós não quisermos ouvir a voz da maioria do povo brasileiro, nós vamos sofrer uma grande derrota histórica! Não adianta, companheiros, ficar esperando pelas eleições de 2022! As eleições vão se dar num quadro dominado por esses militares, por esses golpistas e por todos aqueles que deram o golpe de 2016. Não adianta ficar esperando pela salvação nas mãos dos partidos da burguesia, porque esses sãos os que deram o golpe em 2016. É preciso, companheiros, sair às ruas! Muitos da esquerda dizem que nós não podemos sair às ruas por causa da pandemia. Isso é um pretexto, companheiros! Nós estamos aqui! Fizemos atos em 33 cidades do país! Nós estamos mostrando na prática que é possível sair às ruas, que é possível fazer o movimento e que a política não pode ser colocada pra dormir no momento em que a crise social e política do país é a mais grave dos últimos anos. Nós temos que sair às ruas! Nós aproveitamos este ato para fazer um chamado à toda esquerda nacional, aos sindicatos, às organizações populares para que saiamos às ruas contra o fascismo! Contra qualquer tentativa golpista! Contra a matança de centenas de milhares de brasileiros! Nós podemos ter 500.000, podemos ter 1.000.000 de mortos enquanto dizem que a solução é ficar em casa. É preciso sair às ruas! Nós fazemos esse chamado, companheiros! Os Comitês de Luta contra o Golpe saíram às ruas hoje! O PCO saiu às ruas hoje! Segmentos de alguns partidos de esquerda saíram às ruas hoje! Nós estamos cumprindo nosso dever com o povo brasileiro! É preciso chamar todas as organizações, mobilizar todas as organizações, para deter a matança! Para frear o golpismo! Para se opor ao Fascismo! E lutar pelas reivindicações do povo e por um governo, companheiros, dos trabalhadores! Muito obrigado.”

Send this to a friend