Rui Costa Pimenta: “Qual é o significado da vitória de Bolsonaro?”

rui1-e1494705230231

Transcrevemos abaixoum trecho da Análise Política da Semana, no qual o companheiro Rui Costa Pimenta, presidente nacional do PCO, comenta sobre a fraude nas eleições e as manobras da burguesia para “eleger” Bolsonaro, sem qualquer apoio popular.

“Vamos pegar diretamente o problema central, qual o significado da vitória eleitoral do Bolsonaro? A vitória do Bolsoanro é a vitória do golpe de estado e da fraude eleitoral. É uma vitória dupla da fraude eleitoral, porque a direita, com todos os seus recursos, conseguiu envolver a esquerda em sua manobra. Se a esquerda não estivesses se envolvido na manobra de que as eleições são a festa da democracia, vamos unir o povo brasileiro, vamos vencer no primeiro turno, e tivesse denunciado diante do povo brasileiro de que as eleições eram uma farsa, a vitória teria sido muito mais pequena. Com a colaboração da esquerda, criou-se a ilusão de que tivemos eleições normais e de que o Bolsonaro seria a preferencia de todo o povo brasileiro, pasmem. O Bolsonaro, depois do golpe de estado, depois da campanha de agressões contra a esquerda, depois da cassação da pessoa que se encontrava em primeiro lugar na preferencia popular, depois da prisão do Lula, depois dessa enorme campanha de arbitrariedades, a burguesia toda, por trás da candidatura de Bolsonaro, conseguiu apresentar como resultado eleitoral 39% dos votos. O que significa que a burguesia não conseguiu o apoio eleitoral de 61% da população. Se a gente incluir aí os votos que foram cassados e não entra na contabilidade, a percentagem cai para 38%. Ou seja, a burguesia conseguiu, isso nós temos que tirar o chapéu, transformar uma pessoa que não tem apoio popular, ultra minoritária em presidente da república. Mesma coisa que fizeram na França com Macron. Ganha uma pessoa que não tinha voto nenhum. Se depois de voce comprar o juiz, voce jogar no campo só com a sua torcida, o gandula só entregar a bola para o seu time, a torcida ameaçar de entrar em campo a todo momento, voce empatar o jogo, perdeu de cinco a zero. Pelo conjunto de arbitrariedades era para ter ganhado de goleada. 39% não é nada. Isso sem colocar em questão a inviolabilidade da urna eletronica, todo mundo sabe que a urna é totalmente passivel de ser fraudada. Eu fico até sem ter o que falar, quando tem gente que defende a lisura nas eleições no Brasil, país onde tudo é fraudado. Em uma eleição onde o juí foi literalmente comprado para dar a vitória para o time adversário. Então com tudo isso 39% não é nada. Ou seja, elegeram uma pessoa a revelia da decisão popular.”

Ouça também na Rádio Causa Operária: