Rui Costa Pimenta: “PCO fará uma das maiores campanhas da sua história pela liberdade de Lula”

maxresdefault

Todos os sábados, às 11h30, ocorre o programa Análise Política da Semana, apresentado pelo companheiro Rui Costa Pimenta, presidente do Partido da Causa Operária (PCO). O programa analisa os principais acontecimentos políticos do Brasil, de um ponto marxista e revolucionário. Para quem mora, ou visita a cidade de São Paulo, é possível assisti-lo ao vivo, no Centro Cultural Benjamin Perét, localizado na Rua Serranos, número 90, próximo a estação de metrô Saúde. O mesmo também é transmitido pela Causa Operária TV, no Youtube, bem como nas páginas das redes sociais do PCO.

No Análise Política da Semana, exibida no último sábado, 16/02, o companheiro Rui trouxe os acontecimentos políticos semanais, tratando especialmente da crise do regime e da luta contra a extrema-direita. Dentre as exposições, ressaltou a importância da mobilização popular para derrotar os golpistas. Afirmou ainda que o Partido da Causa Operária realizará uma das maiores campanhas de sua história, lutando pela liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, atual preso político sob o regime ditatorial da direita. Para isso irá confeccionar novos materiais (adesivos, cartazes, panfletos, etc.), bem como intensificar as campanhas de agitação e propaganda nas redes sociais e, principalmente, nas ruas.

Com a consolidação do golpe, que derrubou a presidenta democraticamente eleita, Dilma Rousseff, em 2016, um dos primeiros aspectos levantados pelo PCO, na Análise Política da Semana, como um problema central já era a prisão politica do ex presidente lula. Analisando os acontecimentos, o partido entendeu que eliminar o maior líder de massas da América Latina do cenário político era fundamental para dar um acabamento institucional ao golpe.

As análises do PCO tomaram concretude e Lula realmente se tornou um preso político sob um regime ditatorial. Através de uma série de manobra judiciais, totalmente ilegais, excluíram do pleito o maior líder popular do país. Tal acontecimento facilitou a fraude eleitoral que elegeu Jair Bolsonaro, que é um presidente muito impopular. Vale lembrar que dois terços da população brasileira sequer votou no então candidato.

A verdade é que Bolsonaro é uma reedição governo que já vinha sido desenvolvido por Michel Temer, porém com maior ferocidade, intensificando os ataques a classe trabalhadora, favorecendo o setor da burguesia mais ligado ao imperialismo. Sem apoio popular algum, a instabilidade é muito grande.

Neste sentido, o PCO acredita que um dos aspectos centrais do cenário político no próximo período é a luta pela liberdade de Lula. Essa que não continuará sendo travada apenas por convicção, mas sim porque o ex-presidente representa o polo oposto do Governo Bolsonaro, e do regime ditatorial imposto pela extrema-direita, na polarização política.

Ao passo que o governo de Jair Bolsonaro ataca o povo, a resistência popular a essas medidas vai se tornando cada vez mais ampla, ficando perceptível que o polo do poder se desloca para a carceragem da policia federal em Curitiba. É inegável, porém, a existência de um esforço político para criar outros polos artificiais, como, por exemplo, o próprio ex-candidato Ciro Gomes, que tentou usar um verniz de esquerda, mas, na verdade, é um direitista, aliado a banqueiros e empresários como Benjamin Steinbruch, que foi, nada menos, que um dos maiores financiadores do golpe que retirou a presidenta, democraticamente eleita, Dilma Rousseff, em 2016. O objetivo dessa estratégia é, sim, tentar desfazer a polarização política, existente desde o preparo do golpe e que vem ficando cada vez mais acentuada.

Assista a Análise Política da Semana, bem como aos demais programas disponíveis na Causa Operária TV, compartilhe em suas redes sociais e contribua com a imprensa de esquerda, revolucionária e independente, para que ela se torne ainda mais poderosa, atingindo um número cada vez maior de telespectadores.