IMG_8827
|

Transcrevemos abaixo um trecho da Analise Politica da Semana do ultimo dia 15 de setembro, no qual o companheiro Rui Costa Pimenta debate a necessidade da esquerda se organizar e enfrentar a ofensiva da direita. Leia:

“À medida que a polarização politica se acentua, a direita vai tomar medidas para conter a polarização. Uma parte da esquerda tem uma política que é assim: não vamos polarizar, não vamos nos revoltar, não dêem facada no Bolsonaro, não joguem pedra no Sérgio Moro, porque se fizermos qualquer coisa, a direita vem e acaba com a gente. Ou seja, a nossa única alternativa seria comprar um jazigo no cemitério e se enterrar la. Uma politica totalmente absurda. Se a direita está se organizando para levar adiante um enfrentamento com uma eventual rebelião popular, o que nós temos que fazer é organizar a rebelião popular, expandir ao máximo para conter a direita. Esses chamados à paz não vão resolver nada. Os chamados à paz do PSTU, do PSOL e do PT só servem para adormecer as forças populares e a esquerda. O pessoal não tem que pensar em paz, tem que pensar que a tendencia do pais é que as coisas escapem do controle da burguesia. Se escapar do controle da burguesia, quanto mais consciente, quanto mais mobilizado, quanto mais organizado o povo, melhor para o povo. Esse negocio de paz é igual o que aconteceu em 1964: o então presidente João Goulart disse: “eu não quero derramar o sangue dos brasileiros”; o que na realidade é “eu não quero derramar o sangue dos brasileiros de direita, porque os de esquerda entraram todos no facão e se derramou muito sangue.” A direita não é pacífica, mesmo quando o General Mourão sai falando, após ter ameaçado inúmeras vezes o pais, que temos que amar uns aos outros, o momento é de paz, não dá para acreditar que essa gente é pacifica, isso seria o maior erro politico de todos. Então, nós temos que dar continuidade a luta política para organizar a população e reagir às investidas políticas da direita.

Assista também o trecho na CausaOperariaTV:

Relacionadas