Rui Costa Pimenta: “não se deixar levar pelo clima de histeria”

o-boullos-e-uma-escolha-de-uma-articulacao-direitista-no-psol-rui-costa-pimenta-na-analise-politica-da-semana-2

Transcrevemos abaixo o trecho da Análise Política da Semana, no qual o companheiro Rui Costa Pimenta analisa a histeria com as eleições de determinados setores da esquerda nacional

“Queria enfatizar ainda esse problema das ameaças, esse negócio de ao invés de debater a politica primeiramente, de debater as coisas de um ponto de vista geral do interesse da classe trabalhadora e do povo brasileiro, discuti o que e melhor e procurar convencer as pessoas, já ficou claro, esse método de agredir, de fazer chantagem, e o método da direita, não so do Bolsonaro, uma boa parte do pessoal do Ciro Gomes, veio fazer chantagem em nosso site. Você quer reconhecer uma pessoa que e de esquerda mesmo, através da metodologia. E os nossos militantes, simpatizantes e amigos não devem cair nisso dai. por mais agressivo que seja o negocio, nos devemos discutir politicamente, com clareza, com tranquilidade, sem se deixar levar para a histeria. A histeria é um método da pequena-burguesia, em especial da pequena-burguesia direitista, os outros fazem um apelo em geral à razão. Nós sabemos que não é a razão que irá fazer com que o mundo se transforme, mas a revolução proletária. Nós apelamos à razão, ou seja, aquilo que o ser humano tem de melhor, não aquilo que ele tem de pior. Se nós queremos ganhar a classe operária, ganhar os setores democráticos para a nossa luta, intimidar as pessoas não é o melhor método. Uma coisa é você responder assim para um Bolsonaro. Os bolsonaristas tem a politica da truculência, quando alguém foi lá e deu uma facada no Bolsonaro, os bolsominions ficaram na miúda. Quando o Bolsonaro levou a facada, a esquerda, essa esquerda que agora quer esmagar o PCO, ficou com pena do Bolsonaro, se solidarizando com ele, que seria um ataque à democracia. Faço um apelo, então a todos os companheiros que se considerem de esquerda é tratar os bolsonaristas com truculência, e discutir racionalmente com os companheiros de esquerda.”