Rui Costa Pimenta, na Rádio Causa Operária: “A oposição do povo contra Bolsonaro”

analisepolitica

Análise Política da Semana é o programa de orientação política mais importante da esquerda brasileira. Apresentado aos sábados, 11h30 da manhã, pelo companheiro Rui Costa Pimenta, presidente do Partido da Causa Operária, ele cobre os acontecimentos políticos da semana traçando a conjuntura política com precisão, dentro da perspectiva marxista.

Neste programa, de 25/5/19, Rui descreve as fraudes eleitorais que tiraram Lula, o candidato presidenciável favorito nas pesquisas, da possibilidade de concorrer.

“O que estamos assistindo aqui é um fenômeno que não é novo mas é intenso, de oposição frontal a um governo que acabou de tomar posse. Bolsonaro está completando seu quinto mês é a população não consegue mais aguentar o governo. Por isso não há motivo nenhum para aguentá-lo até o final do mandato. Seria uma espécie de masoquismo político, onde você se dedica a sofrer pela simples ideia de que você tem que sofrer. Em política isso não é nem natural, nem normal. Não existe essa doutrina de ter que aguentar um governo que está atacando os seus direitos.

E temos que alertar o seguinte: é uma falsificação completa a ideia de que este governo foi eleito democraticamente. Ele foi eleito numa das operações fraudulentas mais escandalosas que o Brasil já viu até hoje. É um cinismo dizer que ele foi eleito democraticamente. É natural da Rede Globo, do Jornal Nacional, na Folha de S. Paulo, Estado de S. Paulo, Zero Hora, Correio do Povo etc, mas na boca da esquerda, é uma coisa totalmente sem sentido.

O governo foi eleito pois o sistema judiciário, Sérgio Moro, STF etc, trataram de tirar o candidato presidencial preferido pela população. Não apenas foi tirado do páreo como foi preso de maneira totalmente ilegal, condenado sem provas. Mesmo preso, ele deveria ter o direito de concorrer, mas o STF foi impedindo a candidatura de Lula, de maneira ilegal, até que o PT, que não leva a luta até o fim, desistiu da candidatura dele. Ou seja, a fraude foi escancarada, o que dá mais razão ainda para que a população se revolte.”