Neste sábado (14)
Uma análise para a ação política
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
2019.07 I Conferência Aberta dos Comitês
Rui Costa Pimenta fala à I Conferência Aberta dos Comitês. 21/07/2018: Arquivo DCO |

Neste sábado (14), o companheiro Rui Costa Pimenta, presidente do PCO (Partido da Causa Operária) dará o informe político à 2ª Conferência Aberta dos Comitês de Luta. Será uma avaliação dos acúmulos do movimento da luta contra o golpe no último período e quais os rumos para o desenvolvimento da rebelião popular no Brasil!

Foi sob este chamado da rebelião popular que Rui Costa Pimenta fez durante a 1ª Conferência, em julho de 2018, quando afirmou:

“Este golpe de Estado só pode ser derrubado pela ação, pela rebelião do povo brasileiro… Nós só vamos resolver o problema do golpe, derrubar a ofensiva golpista, reacionária … se nós fizermos os golpistas entenderem a única língua no planeta Terra que eles entendem, a da força da mobilização popular!”

A 2ª Conferência é o resultado da experiência que o movimento da luta contra o golpe adquiriu de julho de 2018 a um dezembro de 2019, num momento de agonia do capitalismo mundial, diante do levante das massas por todo o mundo, da convulsão social na América latina, da greve geral na França, do enfraquecimento do governo Bolsonaro, da soltura de Lula, das tendências inflacionárias, diante de toda a crise que o Brasil atravessa.

Por isso os ativistas do País inteiro, que acompanharão o evento presencialmente ou através da COTV (Causa Operária TV no Youtube), podem esperar do informe político do presidente do PCO, o partido da luta contra o golpe, não um discurso retórico, mas sim um chamado à organização do levante do povo brasileiro contra todos os golpistas e o imperialismo.

Confira o discurso de Rui Costa Pimenta na 1ª Conferência:

Trata-se de reunir o setor mais ativo da militância da luta contra o golpe e discutir uma perspectiva de ação clara, para levar às organizações populares, às associações dos movimentos populares, às organizações que fazem a luta pela terra e principalmente aos sindicatos e aos partidos políticos da esquerda a perspectiva de unificação de todas as lutas em uma greve geral, colocando em segundo plano o problema eleitoral.

É uma atividade que tem o objetivo dar vazão ao desejo da esmagadora maioria da população de lutar contra os golpistas e seu regime, subordinar a questão eleitoral à questão da mobilização popular, não se adaptar ao cenário político tal como a burguesia imperialista quer, tal como a esquerda tem se adaptado, vide aprovação do pacote anticrime a aprovação da reforma da previdência em vários estados.

Portanto, a 2ª Conferência é um marco político importante neste ano de expressivas mobilizações no País. Servirá como um grande chamado aos ativistas, à população trabalhadora, aos movimentos de luta em geral, de que abriu-se uma situação onde a ideia de que o golpe de Estado será derrotado pela mobilização popular se transformou em algo concreto (inclusive com exemplos latino-americanos), imediato, e que, portanto, é preciso organizar esta proposta como uma questão central.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas