Rui Costa Pimenta: “a possibilidade de a esquerda ganhar as eleições sem o Lula é muito pequena”

Former Brazilian President Luiz Inacio Lula da Silva is carried by supporters in front of the metallurgic trade union in Sao Bernardo do Campo

Da redação – O companheiro Rui Costa Pimenta, Presidente Nacional do Partido da Causa Operária (PCO), está agora na “Análise Política” da TV 247 .  O programa semanal é recorde de audiência nacional, fazendo parte do hábito dos espectadores da esquerda. Ajude a divulgar curtindo, perguntando, compartilhando e faça o debate chegar a todos os trabalhadores que lutam contra o golpe.

Debatendo sobre o plano B, o companheiro Rui afirmou que na hipótese de Lula não ser impedido pelos tribunais, mas renunciar pela possibilidade de seu nome não aparecer nas urnas, por uma pressão da direita do PT, isso seria um grande erro. Sua candidatura deve ser levada até o fim, é uma fratura exposta dentro do golpe, tem a defesa de milhões, nacional e internacionalmente. O mais importante aqui não é chegar no fim do processo eleitoral segundo a aparência da lei, isso não é o fundamental, mas sim escancarar ao povo a destruição do golpe da direita.

“As pessoas têm que entender, quando a gente faz uma análise política temos que ter a cabeça fria, analisar todas as possibilidades. A possibilidade de a esquerda ganhar as eleições sem o Lula é muito pequena nesse momento, é muito incerta, sendo bem otimista. Então, a gente estaria arriscando muita coisa numa proposta que não tem um fundamento real”, afirmou o presidente do PCO.

Sobre as pesquisas que tentam mostrar uma suposta transferência de votos, Rui disse que “a pesquisa em si, é e sempre foi aparato da direita. Lembrando a manipulação feita contra o Haddad nas eleições municipais em São Paulo”.

A direita tem diversas jogadas preparadas, assim, eles estão esperando pra ver qual definição o PT vai ter, e isso foi dito por várias pessoas. É difícil a direita tomar uma decisão mais direta antes do julgamento, antes de ver o que o PT vai fazer quando bater o desespero. E temos que pensar sempre que as pessoas por trás das eleições, a burguesia e seus funcionários, tem experiência, já fizeram muito isso, eles têm como roubar, mudar, alienar, escolher Bolsonaro, Alckmin e por aí vai.

Finalizou o raciocínio afirmando que Lula tem mais de 40% de intenções, e o movimento em defesa do Lula é muito grande. E mais uma vez, deu exemplo sobre a questão do Equador, onde o vice de Rafael Correa, Lenin Moreno, foi manipulado, comprado pelo imperialismo. Não que isso seja o caso do Haddad, mas mostra a capacidade de manipulação da direita. E agora Correa pode ser preso por esse  golpismo imperialista. Devemos lembrar que os bancos estão por trás das eleições, os grandes capitalistas, e eles compram pessoas e derrubam governos há décadas.