Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Former Brazilian President (2003-2010) Luiz Inacio Lula da Silva gestures while delivering a speech at a seminar on
|

Da redação – O jornalista Leonardo Attuch conversa ao vivo agora na Análise Política, na TV 247, com Rui Costa Pimenta, trazendo uma pergunta que é de suma importância em meio à confusão gerada pela perseguição judicial contra Lula, pressionando pela substituição da candidatura por Haddad: a pressão da burguesia, gera uma pressão dentro da esquerda, levando setores pequeno-burgueses a capitular e defender um plano B, que já foi Ciro Gomes e Manuela D’Ávilla.

Rui explica que, se os trabalhadores abaixarem a cabeça diante dos golpes judiciais, não há necessidade de aumentar o golpe pela força, pois se não houver reação da classe trabalhadora a direita se sente ainda mais à vontade. Então, se capitularmos frente à pressão, logo os “deuses de toga”, não eleitos, estarão mudando nomes de partidos, colocando na ilegalidade e fazendo tudo o que quiserem.

O dirigente do PCO disse que precisamos ter claro que a burguesia quer substituir Lula o mais rápido possível, já que todo o golpe foi levado a cabo para retirar o ex-presidente das eleições, agora soltam matéria na imprensa burguesa todos os dias aconselhando a esquerda para abandonar e escolher logo, “antes que seja tarde”. Temos que lembrar que a burguesia prendeu o petista sem provas, agora o proíbe de participar no programa eleitoral, enquanto solta matérias de opinião como grandes conselheiros da democracia.

E para finalizar o tema da “pressão da burguesia para o plabo B”, Rui afirmou algo que é de suma importância para os defensores dessa política: essas não são eleições democráticas, pois estamos dentro de um golpe, onde o povo quer Lula nas urnas e a perseguição só aumenta. As censuras não param mais, com a “Turma de Preto” ameaçando o PT com multas milionárias de 20 milhões, e agora, estão acusando o próprio Haddad por corrupção, exatamente como fizeram contra Dilma Rousseff em 2016. As eleições não são a única realidade, isso é uma visão errada da luta de classes, da história, que já viu de tudo, e hoje, com museus históricos sendo queimados, metrô sendo super-faturado, eleições sendo rasgadas, irá levar a uma grande revolta que eleições não irão resolver.

 

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas