RS: protesto pelo “escola sem partido”, com partidos da burguesia

escola-sem-partido-300x146

Membros do DEM, PSL e MDB, junto com pais direitistas partidários da suposta “escola sem doutrinação”, realizaram um protesto de uma hora de duração em frente ao Colégio Marista Rosário, no bairro Independência, em Porto Alegre. Levando faixas com os dizeres “Nossos filhos não são filhos do Socialismo, são nossos!! Não à doutrinação”, alegaram como motivação da manifestação, uma briga entre dois alunos, filmada e divulgada por Whatsapp, que teria ocorrido em uma aula-debate de sociologia que continha uma análise sobre a violência social, com citação dos números da violência policial.

Como resultado, não só os dois alunos envolvidos na briga foram expulsos do colégio, como também, o professor de sociologia responsável pela aula foi demitido. Isso deixa patente o alinhamento político da escola aos manifestantes, que defendem a repressão ao posicionamento político, ao debate sobre os problemas sociais e, até, a simples exposição dessas informações – como foi o caso do professor. 

Os políticos presentes na manifestação “contra a política nas escolas” foram os deputados estaduais Eric Lins (DEM), coordenador da Frente Parlamentar em Defesa da Escola Plural e Contra a Doutrinação, e Luciano Zucco (PSL), tenente-coronel da reserva do Exército, e a secretária municipal de Desenvolvimento Social e Esporte de Porto Alegre, Nádia Gerhard (MDB), dentre outros. A presença desses partidos no ato deixa patente, por si só, a finalidade da suposta “escola sem partido” que eles defendem: é a “escola de partido único”, a “escola com fascismo”.