RS: explosão matou dois operários em frigorifico e expõe carnificina no setor

frigo taq

Dois trabalhadores morreram no último dia 16 após a explosão de uma caldeira, em um frigorífico em Taquara, pertencente à micro região do Vale do Paranhana, na Grande Porto Alegre.
Roberto de Oliveira, 37 anos e Alberto Strauss, 52 anos, morreram no local. Foram arremessados de uma distância de 25 a 50 metros de onde estava a caldeira que explodiu. O primeiro tinha apenas três meses na empresa. O segundo funcionário, tinha trinta anos de trabalho no frigorifico. Outros quatro funcionários ficaram feridos, dos quais três tiveram que ser levados para o hospital de local.
Conforme informações do Corpo de Bombeiros, o acidente ocorreu às 7h30. Quando a caldeira explodiu, um pedaço de parede de concreto foi arremessado a uma distância de 100 metros do local atingindo e rachando uma parede de uma casa vizinha e em outra, o telhado acabou sendo despedaçado com os estilhaços que a atingiu e um pedaço da caldeira sobrevoou quinhentos metros atingindo outra empresa da proximidade.
Apesar do governo municipal de Taquara afirmar que os alvarás, tanto na Prefeitura quanto no Corpo de Bombeiros, estariam em dia, já é sabido por todos os trabalhadores que, os patrões dos frigoríficos são muito negligentes quanto às condições de segurança de seus operários, tanto no que se refere aos equipamentos de proteção quanto na manutenção de seus maquinários e equipamentos.
Tanto é assim que os frigoríficos são os primeiros no setor industrial em acidentes do País e, conforme dados estatísticos dos próprios órgãos oficiais, o segundo entre todos os ramos de atividades, principalmente em acidentes com morte e, com um agravante, são também, um dos setores que mais ocultam informações em relação às condições humanas de seus trabalhadores.