Rosa Weber rejeita pedido para tornar Lula inelegível, mas candidatura continua ameaçada

81611-roberto-jayme-tse

Da redação – A ministra do Tribunal Superior Eleitoral – TSE, Rosa Weber, rejeitou o pedido feito pelo fascista, Movimento Brasil Livre (MBL), para tornar o ex-presidente Lula inelegível desde já. Ela entendeu que o movimento não possui legitimidade para fazer o pedido e que, antes do período de registro de candidaturas, não há como discutir a inelegibilidade de candidatos.

Apesar da decisão superior, a juíza Carolina Lebbos vem recusando autorizar qualquer tipo de entrevista por parte de Lula, considerando que ele foi condenado em segunda instância e que, de acordo com a Lei da Ficha Limpa, já estaria inelegível.

Importante destacar, no entanto, que o TSE é um tribunal fisiológico e político, e pode a qualquer momento mudar de opinião, passar o processo a outro ministro, para decretar Lula inelegível antes mesmo do registro de sua candidatura e como sabidamente está sendo articulado.

No estado de exceção é assim, os deuses-juizes sem jurisdição eleitoral pode julgar se alguém é inelegível com base nas suas próprias convicções. Por isso a importância de todos que lutam contra o golpe irem para o debate que se inicia amanhã na Conferência Nacional Aberta de luta contra o golpe, na capital de São Paulo, para garantir a candidatura de Lula, organizar manifestações de massa, uma grande greve geral, derrotar o golpe e libertar Lula de uma vez por todas.