Sustentáculo do governo
Maia tem sido essencial para a sustentação do golpe e do governo
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Rodrigo Maia e Bolsonaro
Oposição e situação, não necessariamente nessa ordem. | Arquivo.

O companheiro Rui Costa Pimenta, em sua entrevista semanal na TV 247, ao ser questionado sobre os argumentos da esquerda de que o bloco com Rodrigo Maia seria um fortalecimento de uma oposição a Bolsonaro, devolveu a pergunta questionando: ” mas Maia não está mais com Bolsonaro?”.

Na explicação, o companheiro ainda mostrou que Maia agiu como verdadeiro cão de guarda de Bolsonaro enquanto esteve na presidência da Câmara. Não passou para frente nenhum dos pedidos de impeachment contra Bolsonaro e passou tudo o que foi de leis contra o povo.

De fato, a esquerda que se aliou a Maia está vendendo um mercadoria falsificada. Maia não é oposição, Maia é situação. Maia é o principal sustentador do governo Bolsonaro. Inclusive, como homem de confiança da burguesia e de sua ala golpista tradicional, Maia foi o responsável por colocar em votação na Câmara as medidas mais relevantes do ponto de vista da burguesia, ponderando os excessos demagógicos de Bolsonaro e ao mesmo tempo preservando o governo de uma crise com a abertura de impeachment.

De fato, Maia é o vigilante do governo Bolsonaro. Se o deputado de DEM – partido da ditadura militar – for oposição, o Brasil está perdido.

Há ainda aqueles que afirmam que Maia e seu bloco é uma manobra para “defender a democracia”. Justo o partido da ditadura? Na realidade, a esquerda, ao falar em democracia, está revelando com belas palavras a sua extrema adaptação ao regime político. É que alguns setores dessa esquerda cuja preocupação não difere dos setores da direita, querem preservar esse regime podre, antidemocrático, golpista, responsável pelo massacre do povo. Não querem derrubá-lo mas, no máximo, propor algumas mudanças – de comum acordo com os golpistas.

Enquanto for assim, maior será a derrota da esquerda diante da direita, cada vez mais dependente da política dos golpistas, como vem acontecendo nas principais polêmicas políticas do último período em que a esquerda se recusou a apresentar uma política independente. E assim, não apenas a esquerda se anula diante dos golpistas, mas fortalece a extrema-direita, que de maneira demagógica, procura aparecer com contestadora desse regime.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas
Sobre o Autor
Publicidade
Últimas
Publicidade
Mais lidas hoje