Siga o DCO nas redes sociais

Por fala sobre AI5
Rodrigo Maia diz que general Heleno é olavete
O plano da direita é esmagar os trabalhadores para implantar um programa neoliberal, no entanto há discordâncias e disputas dentro do próprio campo da direita
img20191030120737019-768x512 (1)
Por fala sobre AI5
Rodrigo Maia diz que general Heleno é olavete
O plano da direita é esmagar os trabalhadores para implantar um programa neoliberal, no entanto há discordâncias e disputas dentro do próprio campo da direita
Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados
img20191030120737019-768x512 (1)
Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados

Da redação – A crise interna da direita golpista continua. Dessa vez, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), apareceu na imprensa afirmando que o general Augusto Heleno, ministro do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), é um “auxiliar do radicalismo do Olavo [de Carvalho]”, em referência ao guru do bolsonarismo, o ex-astrólogo Olavo de Carvalho. Na linguagem mais popular para descrever esse fenômeno, o general Heleno seria mais um “olavete”.

Rodrigo Maia estava em um evento em Recife, quando perguntaram a ele sobre a declaração do general Augusto Heleno que, comentando a afirmação de Eduardo Bolsonaro sobre a necessidade de um “novo AI5” caso a esquerda se “radicalize”, disse apenas que o problema seria ver “como fazer”. O general Heleno, dessa forma, reafirmou a ameaça de Eduardo Bolsonaro contra todo o país. Diante disso, Rodrigo Maia falou que “é uma cabeça ideológica, infelizmente ministro Heleno virou um auxiliar do radicalismo do Olavo”.

Maia é presidente da Câmara dos deputados, justamente uma das instituições fechadas na mesma noite em que o AI5 foi publicado, em dezembro de 1968. A direita golpista está em crise devido a suas contradições internas. O plano da direita é esmagar os trabalhadores para implantar um programa neoliberal, no entanto há discordâncias e disputas dentro do próprio campo da direita. É preciso aproveitar essa situação para mobilizar contra o governo golpista, antes que a direita ache sua própria saída para a crise política nacional.