Siga o DCO nas redes sociais

Polícia assassina
RJ registra maior letalidade policial em janeiro desde 1998
A polícia do Rio de Janeiro, assim como a de São Paulo e outros estados do Brasil, é uma das que mais mata negros e pobres, algo que é um claro ataque à classe trabalhadora
operacao_rio
Polícia assassina
RJ registra maior letalidade policial em janeiro desde 1998
A polícia do Rio de Janeiro, assim como a de São Paulo e outros estados do Brasil, é uma das que mais mata negros e pobres, algo que é um claro ataque à classe trabalhadora
Intervenção no RJ. Foto: Ricardo Moraes/Reuters
operacao_rio
Intervenção no RJ. Foto: Ricardo Moraes/Reuters

Da redação – Somente no mês de janeiro deste ano, o Rio de Janeiro registrou seu maior nível de letalidade policial ao longo de 20 anos. Essa afirmação se baseia na morte de pelo menos 160 pessoas somente no primeiro mês de 2019, segundo os números do Instituto de Segurança Pública (ISP), que é vinculado ao governo do estado, que está nas mãos do governador fascista Wilson Witzel, que dá carta branca para sua polícia entrar nas favelas e sair atirando em qualquer um.

Ainda baseado nesses dados, o número em relação ao período anterior não foi muito diferente, na verdade, quase igual, registrando 157 mortes pelas mãos da polícia, feitas em intervenções policiais que, quase sempre, acabam em tragédia.

Em comparação com outros anos, somente duas vezes o número de mortes chegou aos três dígitos, como foi em 2008, contabilizando 109 assassinatos cometidos pelo Estado e em 2007, com 117. Desde 2016, que contabilizou 53 mortes, número subiu 200% até janeiro deste ano. A soma de mortes somente nos meses de janeiro desde 1998 já chega a 1.626 no Rio de Janeiro, mostrando que quanto mais a política vai caminhando para a direita, mais mortes de inocentes vão acontecendo.