Estado de terror
Uma verdadeira cena de guerra em plena madrugada carioca: pessoas mortas, outras feridas, residências atingidas por tiros e interrupção de trens.
jacarezinho-13188921
(O Dia) PM assassina atira na população de helicóptero |

Na madrugada dessa segunda-feira (16), moradores da comunidade Jacarezinho, mais uma vez foram alvos da polícia militar assassina do Rio de Janeiro.

A ação na comunidade, resultou em quatro pessoas mortas, uma ferida, residências atingidas por tiros, e a interrupção de trens do ramal Belford Roxo por uma hora.

A operação envolveu Homens dos Batalhões de Ações com Cães (BAC), Polícia de Choque (BPC) e de Operações Policiais Especiais (Bope), apoiados por helicópteros e blindados, que chegaram à região no fim da madrugada invadindo residências, jogando bombas e atirando contra a população carioca.

“É o mesmo padrão: entram de manhã provocando tiroteios, trazendo mortes e depois recolhem os corpos, marcam um tempo e vão embora. Passa uns dias, voltam e fazem a mesma coisa”, conta um morador, que prefere não se identificar.

Trata-se de uma política genocida contra o povo pobre do Rio de Janeiro. Com carta branca do governador fascista Wilson Witzel, do PSL – famoso por atirar na população de cima de um helicóptero – as ações da PM do Rio nas comunidades estão cada vez mais absurdas.

Contra essas operações que só servem para perseguir e matar o povo pobre, é necessário lutar pelo fim da polícia militar e pela derrubada de todos esses golpistas inimigos do povo. Só com o povo organizado, formando milícias populares, os trabalhadores estarão realmente protegidos. Fora Bolsonaro! Fora Witzel!

Relacionadas