Revista Isto É ataca MST e prepara terreno para justificar ofensiva violenta perseguições do latifúndio

mst isto é

A revista Isto É publicou uma reportagem intitulada “A corrupção por trás das invasões do MST”, de Ary Filgueira, ataca o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) em supostas denúncias de especulação imobiliária e outros crimes.

As denúncias apresentadas pela Isto É são vazias e claramente com o intuito de atacar os movimentos sociais de luta pela terra, onde seria um grande erro responder os argumentos e acusações apresentadas pela Revista e pelo jornalista Ary Filgueira.

Ary Filgueira é um grande conhecido por ser contratado da burguesia internacional para atacar os trabalhadores e defender a entrega das riquezas do país para liquidação. Ary já foi contratado para atacar a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), empresa estatal de pesquisas para dar suporte a agricultura e muito visada por empresas estrangeiras. O mesmo jornalista atacou duramente Lula e realizou ataques sobre o ex-presidente.

As investigações realizadas pela Polícia Federal (PF) deixam mais evidentes que é uma perseguição, pois a PF foi o principal instrumento dos golpistas para o golpe de estado que derrubou a presidente Dilma Roussef e persegue Lula até hoje. É a mesma PF que ataca os movimentos de luta pela terra, como indígenas e quilombolas por todo o país.

A revista Isto É, também apelidada de Quanto É, é um instrumento da burguesia para atacar os movimentos sociais, partidos de esquerda e progressista e políticas que beneficiam a população pobre e trabalhadora.

Fica clara que a essa reportagem apresentada pelo contratado dos patrões Ary Filgueira tem o intuito de criar uma opinião pública para justificar o aumento da violência contra os movimentos de luta pela terra e da perseguição política contra militantes desses movimentos sociais realizada pela direita golpista.

Querem com isso dar uma explicação para o aumento exponencial da violência no campo e no ano mais violento da história contra os trabalhadores do campo.

Essas manobras da direita em contratar jornalistas da imprensa burguesa e criar confusão quando há uma clara ofensiva violenta da direita latifundiária contra os trabalhadores do campo é comum e deve se tornar cada vez mais agressiva.

É preciso denunciar essas manobras da imprensa burguesa e golpista para acobertar os crimes do latifúndio e atacar a população pobre e trabalhadora do campo.