Mais uma propaganda eleitoral do PSDB para “combater” Bolsonaro

Anterior
Próximo

Campanha de guerra

Reunião da OTAN define novo alvo do imperialismo: China

Governos imperialistas deixam claro que irão fazer uma campanha de guerra contra o avanço da influência chinesa

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

Sanssões economicas o controle militar – Reprodução

Por Brasil de Fato

Nesta segunda-feira (14), em Bruxelas, na Bélgica, teve início a 31ª Cúpula da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), que reúne chefes de Estado de 30 países ocidentais em uma aliança militar, para debater uma nova estratégia mundial contra os “avanços da China e da Rússia”.

A Otan foi criada em abril de 1949, como uma liga composta pelas maiores potências econômicas do mundo ocidental, em um contexto de Guerra Fria. Passadas mais de seis décadas, o grupo continua ativo e formando operações militares conjuntas contra o que consideram ameaças à sua segurança ou à “segurança global”. 

A proposta do encontro que acontece em Bruxelas é aprovar a agenda Otan 2030, que substituirá a agenda atual, aprovada em 20210, em Lisboa, Portugal. 

A “agenda transatlântica para o futuro” altera artigos para incluir as guerras híbridas, ciberataques e as mudanças climáticas como riscos para a segurança global. 

Para isso, o secretário-geral da organização, o economista norueguês Jens Stoltenberg, propôs dobrar o orçamento da Otan nos próximos dez anos, com uma parcela de US$ 2 bilhões por membro. Atualmente cerca de 1,73% do PIB dos 30 países é destinado a financiar a aliança militar. No ano passado, esse montante representou US$ 1,03 trilhão (aproximadamente R$ 5,15 trilhões) – o maior orçamento de defesa do mundo. 

Stoltenberg também declarou que as relações com o governo russo e a reunião agendada do presidente Joe Biden com Vladimir Putin, no dia 16 de junho, são temas de debate.

“Nossas relações com a Rússia estão no nível mais baixo desde a Guerra Frida”, afirmou Stoltenberg durante a abertura do encontro. 

99cda86987d3f37eed2daa4f93201cbd
Encontro em Bruxelas deverá incluir os ciberataques como ameaças à segurança global na agenda da Otan para 2030. / Brendan Smialowski / AFP

De 2020 para cá, a Otan aumentou a presença de tropas nas fronteiras com a Rússia, assim como realizou exercícios militares em abril deste ano na Ucrânia, reanimando as tensões com Moscou. 

Nesta segunda, durante a realização da cúpula, a aliança militar também movimentou dois navios de guerra no Mar Negro, entre eles o defensor de mísseis HMS Defender, da marinha inglesa. As embarcações passaram a ser vigiadas pela marinha russa, segundo comunicado do Centro Nacional de Defesa do país.

Enquanto tenta cercar militarmente o território russo, a Otan também debate como frear o avanço tecnológico chinês, que, segundo o próprio Stoltenberg, “não compartilha dos mesmos valores do Estados-membro do Tratado”. 

“O desenvolvimento militar da China, sua crescente influência e seu comportamento coercitivo impõem desafios para a nossa segurança”, afirmou o secretário-geral da Otan durante seu discurso de abertura do evento. 

O representante da Otan ainda reiterou que os governos devem aumentar a ciberdefesa nos países da África para conter o avanço da tecnologia chinesa de 5G no continente. 

A discussão na cúpula do Tratado acontece no mesmo dia em que a gigante chinesa Huawei anunciou um novo sistema operacional, HarmonyOS, dois anos após EUA banirem seu acesso aos aplicativos da Google.

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.