Resultado do golpe: museus de Ouro Preto e Tiradentes fecham por falta de verba

2019.05.07 Museu do Oratório em Ouro Preto-MG b

Uma das primeiras medidas do governo golpista do interino Michel Temer foi acabar com o MINC (Ministério da Cultura) através da fusão com a pasta do MEC e seu rebaixamento a status de secretaria. E, seguida Temer extinguiu o Ibram (Instituto Brasileiro de Museus).

O governo golpista de Bolsonaro, com o aprofundamento do golpe, vem ampliando esses ataques. Prova disso é o fechamento dos Museus Oratório (em Ouro Preto) e Sant’Ana (em Tiradentes), por falta de verbas. Ambos museus que marcam momentos essenciais do passado de Minas Gerais e do processo de independência do Brasil. Ouro Preto, por exemplo, é o maior acervo tombado em matéria de construções barrocas a céu aberto do mundo. Já o Museu Sant’Ana foi fundado em 2014 na antiga prisão pública da Cidade de Tridentes e abriga um acervo de quase 300 imagens da cidade e obras anônimas dos séculos XVII a XIX. É o único museu do gênero do país. O Museu do Oratório foi fundado em 1998. O local era a antiga casa do escultor mineiro Aleijadinho e mantém um vasto acervo de imagens do século XVII e XX. Além disso, também abriga um amplo acervo de 162 oratórios rococó, um importante patrimônio material da história de Minas Gerais.

Segundo o Instituto Flávio Gutierrez, em comunicado oficial foi declarado que os museus irão permanecer fora de funcionamento da última segunda-feira (6) até o dia 5 de junho, na tentativa de arrumar formas de financiamento. A instituição também explicou que a arrecadação através de patrocínio é insuficiente para manter o funcionamento e a restauração do espaço cultural.

De acordo com Ângela Gutiérrez, atual gestora do instituto, parte deste isolamento econômico é consequência do esfacelamento do Ministério da Cultura no atual governo Bolsonaro e a destruição do Ibram (Instituto Brasileiro de Museus) no governo anterior (Temer).

Ou seja, a direita é inimiga da cultura. Quando não ataca diretamente a arte com a censura, procura estrangulá-la pelo corte de verbas públicas. Portanto, para defender a cultura do povo brasileiro é necessário travar uma luta direta contra Bolsonaro e todos os golpistas, pois não há como defender a cultura buscando conviver com o governo da extrema direita.