Siga o DCO nas redes sociais

Educação
Resultado da prova do PISA mostra o ataque da burguesia à Educação
Um dos principais alvos dos golpistas é o direito elementar do povo à Educação
lousaSP (1)
Educação
Resultado da prova do PISA mostra o ataque da burguesia à Educação
Um dos principais alvos dos golpistas é o direito elementar do povo à Educação
Retrato de uma sala de aula.
lousaSP (1)
Retrato de uma sala de aula.

Em 2018, ano do último levantamento do PISA (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes) , que é a metodologia aplicada pela OCDE para avaliar o desempenho de estudantes, o Brasil ficou entre os últimos das lista de 79 países participantes. O país ficou nas seguintes posições: 57° lugar em leitura, 66° em ciências e em 70° em matemática.

A posição do Brasil no ranking do PISA denuncia a falência da política da direita golpista para a educação pública. O desempenho dos estudantes é consequência da precarização do ensino, da destruição da carreira docente e a  transformação dos professores em semi-terceirizados (caso dos professores temporários categoria “O” em São Paulo) e das escolas em uma espécie de cadeia, sem qualquer condição para o aprendizado com qualidade.

O PSDB, partido tradicional da direita golpista que governa o Estado de São Paulo há 30 anos, transformou a rede estadual de ensino, a maior do Brasil com mais de 5.000 escolas e 200 mil docentes, em um campo de concentração, onde não há qualquer condição mínima para a aprendizagem e onde os professores vivem ao limiar da fome e ostentam a maior taxa de adoecimento mental entre todos os servidores públicos. A precariedade da escola contribui para que a mesma seja esvaziada de sentido e os alunos tenham a sensação de estarem presos e sejam condicionados a viver uma rotina burocrática e conservadora.

Ano após ano, os golpistas desorganizam ainda mais a rede estadual paulista, com modificações repentinas nos procedimentos de atribuição, modificações nas leis sem qualquer consulta aos professores e congelamento salarial. Em São Paulo, os professores já se encontram há 4 anos sem reajuste salarial.

A direita golpista e neoliberal, que se materializa nos governos tucanos em São Paulo, aplica as diretrizes políticas do Banco Mundial e do Fundo Monetário Internacional (FMI) para a educação. O resultado é a absoluta precarização do ensino público.

O a política neoliberal tucana tornou-se em uma receita para destruição do ensino em todo o país e vem sendo implementado sistematicamente após o golpe de Estado que derrubou a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) em 2016. Desde então, o governo golpista de Michel Temer (MDB) congelou todos os investimentos públicos e aprovou a Reforma do Ensino Médio, que liquida o ensino médio.