Repúdio: agressão a militante do PT dentro de delegacia é marca da ditadura que vivemos

cms-image-000622688

O carnaval deste ano comprovou na prática a completa impopularidade e o caráter farsesco e ilegítimo do governo golpista de Bolsonaro. Por todos os cantos do país, o que se viu foram inúmeras manifestações de repúdio ao fascista Bolsonaro e toda sua corja. Somado a estas manifestações, ocorreram também milhares de demonstrações de apoio ao ex-presidente Lula, preso político do golpe. A palavra de ordem de “Lula Livre” ecoou por todas as regiões do país em conjunto com a rejeição total a Bolsonaro, expressa no refrão: “Ei Bolsonaro, vai tomar no c*”

Estas manifestações revelam a profunda polarização política no país e a enorme tendencia popular à favor da esquerda, em especial a Lula, verdadeira oposição a todos os golpistas. Como não tem qualquer apoio real, o governo golpista buscou impor um verdadeiro estado policial contra a população no carnaval. Para tentar conter as manifestações, o que se viu também foi uma série de arbitrariedades cometidas pela Policia Militar em todo o país. Tais fatos revelam que a única saída para os golpistas diante da crescente revolta popular é intensificar a repressão aberta contra o povo.

Um dos casos mais emblemáticos foi o que ocorreu em Atibaia, interior de São Paulo. Durante desfile de um bloco de carnaval no domingo, dia 5, o presidente do diretório do Partido dos Trabalhadores da cidade, Geovani Dorattioto, foi covardemente agredido por um PM, o qual quebrou seu braço.

De acordo com a companheira de Geovani, o casal estava no bloco e o seu companheiro estava vestindo uma camisa com a palavra de ordem “Lula Livre”. O PM passou então a insultar Geovani e acabou  levando-o para a delegacia sem qualquer motivo. Na delegacia, ao ser questionado por Geovani sobre o por quê de estar agindo de maneira extremamente repressora, o PM mandou outros policiais imobilizarem o companheiro e colocarem-o em uma cela. No vídeo registrado da ação, é possível ver o momento exato em que um dos policiais imobiliza Geovani, quebrando seu braço esquerdo.

O caso evidencia o aprofundamento da repressão por parte do regime golpista, da ditadura contra povo diante da cada vez mais crescente revolta popular contra Bolsonaro e todos os golpistas. Contra ditadura dos golpistas é preciso intensificar a mobilização popular, a qual já foi enorme no carnaval. É preciso ampliar os comitês de luta contra o golpe e levantar as palavras de ordem que estão na boca do povo: “Fora Bolsonaro” e “Liberdade para Lula”. Colocar abaixo de uma vez por todas todo esse regime golpista que persegue e ataca o povo brasileiro.