Dois lados da mesma moeda
Diante da catástrofe do genocídio da população trabalhadora nos EUA pela Covid-19, democratas e republicanos representam dois lados da mesma moeda: o imperialismo.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
200602-donald-trump-joe-biden-protest-response-se-109p_9c28862e6197b6b9860b169572a7d073.fit-2000w (1)
Por que democratas e republicanos seriam diferentes se adotam as mesmas políticas genocidas? | Foto: AP Photos

Os Estados Unidos é o país com a pior situação no mundo em relação à pandemia da Covid-19, onde a situação está completamente incontrolável e está muito longe de acabar, reflexo de uma política genocida tanto democrata quanto republicana, que apenas expõe a verdadeira face do imperialismo e do capitalismo mundial. Na última sexta-feira (17) o país bateu mais um recorde no número de novos infectados pelo vírus, chegando a 77.000 pessoas em apenas 24 horas. Os Estados Unidos representam um terço do total de casos no planeta, apesar de sua população representar apenas 4% do total da população mundial, com mais de três milhões de infectados até o momento e mais de 140 mil mortes.

Os problemas estão em todas as regiões do país, onde hospitais estão completamente lotados no estado da Flórida, e no Texas as ambulâncias estão sendo recusadas ao chegarem aos postos de atendimento. Faltam equipamentos para os trabalhadores, há filas por dias para se fazer um teste e o sistema de saúde do país que além de precário também não é público acaba piorando ainda mais a situação dos trabalhadores estadunidenses.

Muito se pergunta de quem é a culpa dessa terrível catástrofe, e de imediato chegamos à conclusão de que tudo isso é culpa de Donald Trump e as políticas genocidas da extrema direita republicana. Mas o problema dos Estados Unidos vai muito além de Trump, ele inclui também os democratas (que supostamente seriam o oposto dos republicanos nesta situação) e principalmente, o imperialismo e os interesses capitalistas.

Os dados dos casos da Covid-19 nos Estados Unidos foram assustadores desde o início e em pouquíssimo tempo o país virou o epicentro da pandemia no mundo, e os casos ficaram ainda maiores depois que a reabertura prematura das empresas no país aconteceu, e isso explicaria o fato de que mesmo após meses do começo das infecções o país continue batendo recordes de mortos e infectados. Mas essa política genocida não é exclusiva de Donald Trump. Praticamente todos os governadores do país, sejam eles republicanos ou democratas, reabriram as fábricas e os negócios não essenciais, além daqueles que fizeram a reabertura sem atender às diretrizes federais mais básicas de saúde, como a Carolina do Norte, o Kansas e o Colorado, onde seus governadores são democratas. Além disso, na mídia estadunidense o discurso em defesa da “imunidade de rebanho” foi amplamente defendido, seja no The New York Times, que publicou pelos menos 11 colunas defendendo esse tipo de procedimento, além do Washington Post ter feito uma reportagem colocando a Suécia como um exemplo a ser seguido, vale lembrar que os suecos adotaram a imunidade de rebanho e viram os números de casos dispararem, assim como foi nos Estados Unidos na reabertura precoce da sua economia.

Colocados sempre como opostos e em disputa pela mídia para ver quem é o menos pior ou mais aceitável, o que levou republicanos e democratas a estarem do mesmo lado? Isso aconteceu porque quem realmente manda na economia estadunidense não são Donald Trump e os governadores, eles apenas seguem as ordens de algo muito maior, que são os interesses do mercado financeiro, ou seja, a reabertura econômica que colocam republicanos e democratas no mesmo patamar genocida é aquilo que foi imposto por Wall Street.

Apesar de uma verdadeira catástrofe em curso, existe uma classe que se beneficia do caos, que é a classe burguesa colocando seus interesses acima da vida dos trabalhadores e de qualquer outro “empecilho” que possa surgir pelo caminho. Assim como no Brasil, o governo estadunidense já injetou U$ 3 trilhões no mercado financeiro, através da lei CARES aprovada por unanimidade em março, tanto por democratas quanto por republicanos.  Apesar de uma situação caótica, com recorde de desempregados, mortos e infectados, existe uma bolha da sociedade que ainda se beneficia com isso, com o aumento nos valores de ações e ainda contando com o governo para receber dinheiro como estímulo além de colocar os trabalhadores para a morte ao reabrir a economia, e isso é feito tanto por republicanos quanto por democratas. A política adotada não é para salvar a “economia”, mas para salvar Wall Street e os grandes capitalistas, algo que não é exclusividade dos Estados Unidos, pois vemos o mesmo exemplo acontecer no Brasil, onde a extrema direita liderada por Bolsonaro e a direita “moderada” trabalham com a mesma política de colocar a classe operária como bucha de canhão da pandemia enquanto bancos e grandes capitalistas continuam a receber estímulos financeiros e se beneficiando com a reabertura econômica e o genocídio da população trabalhadora.

A imprensa burguesa tanto estadunidense quanto internacional sempre tenta forçar uma polarização entre democratas e republicanos que na realidade não existe, os mais moderados ainda adotam discursos de como um dos lados seria menos pior, mas o que realmente acontece é que ambos fazem parte de um grande conjunto de forças que blindam os interesses do imperialismo e da burguesia capitalista, seja com os governadores, com Donald Trump e até mesmo a imprensa burguesa faz parte desse processo, ao colocar os interesses imperialistas como a pauta central da sua abordagem do que está acontecendo no país, defendendo reabertura econômica e limitando o debate ao que seria melhor ou pior, além de omitir que ambos são responsáveis pelo genocídio da população trabalhadora.

Outro exemplo de que democratas e republicanos defendem os mesmos interesses é o caso do subsídio semanal de seguro desemprego no país, que equivale a U$600 e já foi defendido amplamente a sua extinção por Donald Trump, e muito apoiado pelo governador democrata de Connecticut, Ned Lamont, que colocou que esse tipo de benefício “desencoraja” os trabalhadores a irem ao trabalho, ou seja, retiram-se direitos e benefícios dos trabalhadores para que os mesmo sejam obrigados a tentarem voltar ao mercado de trabalho em condições desumanas para não morrerem de fome.

A pandemia da Covid-19 está sendo usada pela burguesia, tanto nos Estados Unidos, como em outras partes do mundo e aqui no Brasil, para expandir e intensificar políticas que beneficiam sua classe e aumentam a desigualdade social, a má distribuição de renda além de deteriorar cada vez mais a qualidade de vida dos trabalhadores. Dentro do Estado burguês não existem opostos se os mesmos defendem e aplicam essas políticas, todos colaboram para o verdadeiro genocídio da população trabalhadora, por isso devem ser combatidos e derrubados em favor de um governo dos trabalhadores.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas