República de Curitiba tem medo da mobilização dos trabalhadores e por isso quer transferir Lula

Lula Cruz das Almas

Ontem (24) a Superintendência da Polícia Federal de Curitiba fez um pedido para que Lula seja transferido. A Superintendência tem sido a prisão política onde Lula está confinado desde o dia 7, quando o ex-presidente resolveu se entregar no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC. Lula é um preso político condenado sem provas e preso antes do trânsito em julgado de sua sentença, o que contraria a Constituição. Sua prisão, realizada no marco do golpe da direita, faz parte de uma perseguição ampla contra a esquerda de conjunto, e por isso enfrenta muita resistência.

No dia 1º de maio, milhares de trabalhadores vão a Curitiba para protestar pela liberdade de Lula. E esse acabou se revelando um dos principais motivos do pedido de transferência. Segundo a coluna de Mônica Bergamo na Folha de S. Paulo de ontem, os delegados afirmam temer a mobilização do Dia Internacional dos Trabalhadores: “Diante da circunstância da prisão do ex-presidente da República, todos os movimentos sociais e de trabalhadores estão se organizando para trazer para Curitiba o evento principal do feriado. Em informações preliminares fala-se em uma concentração de até 50 mil pessoas”.

A PF também reclama dos gatos para manter o presidente encarcerado na Superintendência em Curitiba. O custo nesses 18 dias de prisão política já seria de mais de R$ 150 mil. O pedido de transferência foi feito para a juíza Carolina Lebbos, da execução penal, que negou diversos pedidos de visita para Lula, incluindo a visita do Nobel da Paz Adolfo Pérez Esquivel, que também não pode visitar Lula.

A possibilidade de grandes mobilizações já assusta os golpistas, o que levou a esse pedido de transferência em Curitiba. Agora o momento é de ampliar a mobilização pela liberdade Lula, ampliar os comitês de luta contra o golpe e ir para Curitiba no dia 1º de maio. Até que os golpistas se sintam obrigados a transferir Lula para fora da cadeia.