Repressão: PM prende jovens jogadores de favela em São Paulo

protesto-são-remo-13

Terça-feira, dia 16, dois jovens negros foram presos por terem supostamente roubado um carro. Ambos são exemplares jogares de futebol, e jogam no time da comunidade (São Remo, na zona oeste de São Paulo,) na Taça das Favelas. A acusação aponta que os meninos de 16 e 17 anos teriam roubado e tentado sequestrar a dona do veículo. Segundo o B.O, um dos dois teria dirigido enquanto o outro apontava a arma para a suposta vítima.

A mãe de um dos jovens não foi a única a assinalar o comportamento exemplar dos dois meninos, além de ressaltar que ambos tinham álibi (estavam indo para a casa da namorada de um dos jovens, e mandaram áudio durante o percurso e ao chegar no local) explicou que nenhum dos dois sabe sequer dirigir.

O treinador Lula Santos, quando indagado sobre os jogadores, disse: “Confirmo, sim, que são meus alunos. [Essa acusação] É impossível que seja verdadeira. Colocaram esses meninos na cena do crime”. Explicou que o hábito dos meninos é impecável, não fumam, não bebem e são reconhecidos por serem muito trabalhadores. Os dois sonham em serem jogadores de futebol.

A favela de São Remo saiu em protesto essa semana. Diversos moradores se mobilizaram em solidariedade aos meninos. Dona Iracema, mãe de um, lembrou que hoje é o filho dela, amanhã pode ser filho de outra.

Os meninos ainda estão sendo ameaçados na Fundação Casa, onde estão encarcerados. Um dos rapazes explicou que um policial “disse que era para eles entregarem quem fez se não eles que abraçariam o B.O”. Não poderia ficar mais escancarado de que até os policiais sabem da inocência dos meninos, mas isso já estava claro quando o B.O foi emitido com uma série de mentiras. Os meninos não estavam na rua onde a polícia alegou tê-los apreendidos, e nem houve resistência ou tentativa de fuga por parte deles que já estão acostumado com abordagens da policia. Os meninos têm total entendimento de que estão sendo presos por serem negros e pobres.

A polícia de São Paulo está entre as mais assassinas do país. Para ela, matar e prender jovens negros é como respirar: uma função vital. Quando o roubo aconteceu os policiais foram a procura de jovens negros para prender ao invés de realmente investigar o crime (que pode ou não ter ocorrido).

O único intuito da polícia é ser um órgão repressivo da burguesia, prender, matar e vigiar a população, com ênfase nos setores mais oprimidos da sociedade. Não há legitimidade na prisão dos meninos assim como não há na grande maioria dos casos, agora o processo segue para a justiça que tem a mesma visão fascista e racista que a polícia.