Menu da Rede

A CUT precisa convocar a mobilização nos bairros operários

Economia da especulação

Renda do trabalho tem queda de 5,5% do PIB global

Imperialismo impõe queda de mais de 10% na renda dos trabalhadores

“O mundo” só existe nas demagogias… na prática é a predação o que vale – Ana Carmen

A Organização Internacional do Trabalho (OIT), órgão da ONU, divulgou nesta quarta (23/9) a diminuição global de 10,7%, ou 3,5 trilhões de dólares, na renda mundial obtida com o trabalho, em comparação com o mesmo período de tempo em 2019. O levantamento diz respeito aos primeiros nove meses de 2020. Enquanto grandes corporações, como os bancos, percebem queda menor ou até aumento de lucros, recebendo “ajuda” dos cofres públicos durante a pandemia, a condição dos trabalhadores em todo mundo piora – o roubo às receitas públicas passou do trilhão de reais no Brasil, entregues de mão beijada pelo presidente golpista ao setor banqueiro.

Em meio à crise do capitalismo das nações imperialistas, que já estava instalada antes da pandemia do corona, e, na sequência, da piora do cenário causada pela propagação massiva da doença, o que percebemos é o enxugamento da renda dos trabalhadores mundialmente. A perda dos trabalhadores equivale a 5,5% do Produto Interno Bruto (PIB) global para os três primeiros trimestres de 2019. Ou seja, para lidar com suas dificuldades e sustentar seus regimes atolados em contradições e protestos, as economias dos países imperialistas precisam sequestrar dos trabalhadores globais um volume de dinheiro equivalente a mais de cinco por cento da produção mundial em nove meses. E isso não ocorre com um ou outro país explorado, mas globalmente. Trata-se de uma máquina planetária de roubo e opressão.

Além disso, contrariando a ideia de controle e até otimismo que os economistas celebrados pela mídia burguesa e às vezes mesmo a esquerda cirandeira tentam passar em momentos absolutamente caóticos como os que vivemos, o relatório da OIT conclui que “o fechamento de locais de trabalho continua a perturbar os mercados de trabalho em todo o mundo, levando a perdas de horas de trabalho maiores do que as estimadas anteriormente”. Esse foi o sexto relatório da instituição sobre os efeitos da pandemia no mundo laboral.

O estudo traz de forma cabal a prova da opressão imperialista: divulga que os trabalhadores das economias chamadas de “em desenvolvimento” e “emergentes” sofreram numa extensão muito maior do que em crises anteriores. Veja, não é a OIT, órgão da ONU, que é controlada pelo imperialismo, quem vai denunciar a exploração e sequestro de riquezas que sempre aconteceu no planeta. Portanto, o fato de esta organização ser obrigada a revelar que, durante a pandemia, os países explorados, e dentro deles, especialmente, os trabalhadores informais, tiveram redução mais acentuada na renda do trabalho indica o sentido do fluxo da riqueza no mundo: sempre dos países pobres para os ricos imperialistas. E aí vai pro espaço a demagogia de ocasião que alguns dos representantes das burguesias imperialistas fazem com a ideia de ajudar os países pobres.

Ainda, a OIT acrescentou que o declínio no número de empregos foi geralmente maior para as mulheres do que para os homens. Sem dizer como, ou porque isso já não acontece, o diretor-geral da OIT, Guy Ryder, em comunicado avalia que “assim como precisamos redobrar nossos esforços para combater o vírus, também precisamos agir com urgência e em escala para superar seus impactos econômicos, sociais e de emprego. Isso inclui apoio sustentado para postos de trabalho, empresas e renda”. “Apoio” é o contrário de cada um por si (e menos ainda ajudar os grandes), e “sustentado” quer dizer ao longo do tempo, não uma ou poucas vezes. Resta saber quando os imperialistas vão seguir as diretrizes que suas próprias organizações cinicamente determinam.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores
O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Cultura

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.