Política
Renato Feder era o mais cotado para assumir cargo de ministro da educação do governo Bolsonaro, porém, diz que declinou do convite após críticas de olavistas
Renato-Feder-Foto-Reprodução-Secretaria-de-Educação
Renato Feder | Foto: Reprodução

Renato Feder, que era o mais cotado para ser o novo ministro da educação do governo de Jair Bolsonaro, disse em suas redes sociais que recebeu o convite para ser ministro mas que não irá aceitar e que irá continuar como secretário da educação no Paraná.

Feder recebeu críticas de bolsonaristas ligados a Olavo de Carvalho, por ser ligado a Paulo Lemann, que investiu na candidatura de João Doria, governador de São Paulo pelo PSDB. Feder também possuia ligações com Huck e é secretário de Ratinho Junior no Paraná.

Relacionadas