Coronavírus
Relatórios demonstram que Ministério da Saúde foi negligente diante da crise de hospitais lotados e da falta de suprimentos em Manaus
Manaus 06/05/2020 - Cenas dos leitos semi intensivos do hospital Platão Araujo sob responsabilidade do Governo de Manaus. Foto Jonne Roriz/Veja
Hospitais lotados e sem oxigênio em Manaus eram de conhecimento do Ministério da Saúde | Reprodução
Manaus 06/05/2020 - Cenas dos leitos semi intensivos do hospital Platão Araujo sob responsabilidade do Governo de Manaus. Foto Jonne Roriz/Veja
Hospitais lotados e sem oxigênio em Manaus eram de conhecimento do Ministério da Saúde | Reprodução

Os relatórios do sistema nacional de saúde, produzidos entre os dias 8 e 11 de janeiro, demonstram que já era do conhecimento do Ministério da Saúde a crise dos hospitais lotados e de suprimentos médicos, que inclui gás oxigênio, em Manaus (AM).

Depois das violentas e criminosas mortes de 40 pessoas sufocadas por falta de oxigênio, foram autorizadas mais de 100 transferências de pacientes infectados com coronavírus da capital do Amazonas para outras cidades do país.

É importante compreender que os governos golpistas de Jair Bolsonaro e do estado de Wilson Miranda Lima (PSC) nada fizeram para evitar as mortes em Manaus. Apenas nesta terça-feira (19) foi aberto processo para contratação emergencial de 72 médicos.

Relacionadas
Send this to a friend