Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
cristiane-brasil-roberto-jeferson-20160417-001
|

Da redação – A Polícia Federal concluiu, nessa semana, o relatório da Operação Espúrio, que apontou a participação de 39 pessoas, entre elas políticos golpistas, em esquema de vendas de registros sindicais no Ministério do Trabalho.

Estão envolvidos na fraude os golpistas Roberto Jefferson e sua filha Cristiane Brasil, ambos do PTB. Cristiane Brasil chegou a ser nomeada ministra do Trabalho pelo golpista Michel Temer. O esquema tinha um núcleo político, operado pelos políticos que participaram do golpe de Estado, e contava com a burocracia da administração pública.

Os repasses ilegais eram cobrados para criar ou adiantar a emissão de registros sindicais, podendo um registro chegar ao valor de R$ 4 milhões. Os políticos envolvidos no caso votaram pelo impeachment de Dilma Rousseff em 2016, no marco da campanha “contra a corrupção”.

É preciso denunciar os esquemas de fraude dos golpistas envolvendo os sindicatos, mas principalmente a campanha da direita contra a organização sindical dos trabalhadores. Os trabalhadores devem ser conscientes de que um dos objetivos do golpe de Estado é destruir os sindicatos, para que a classe trabalhadora não consiga se organizar contra a exploração dos patrões.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas