Relator da ONU: se extraditado para os EUA, Assange pode ser torturado

13428498-0-Swedish_prosecutors_today_announced_they_have_reopened_an_invest-a-7_1558251489124

Da relação – O relator especial da ONU, Nils Melzer, sobre tortura denunciou que, caso Julian Assange seja extraditado para os EUA, estará ameaçado de tortura.

Melzer visitou o preso político na prisão de Belmarsh, em Londres, com dois médicos, no mês de Maio, para verificar o tratamento desumano pelo qual tem passado. A situação de Assange foi reportada para os governos dos EUA, Inglaterra, Equador e Suécia.

No relatório, Melzer suplica para que os governos sueco e britânico não enviem Assange para a jurisdição dos EUA, onde o fundador do WikiLeaks poderá ser “torturado”. E exige um julgamento justo para Assange.

“Ele estará exposto a um sério risco de de tortura ou outro tratamento cruel, desumano e degradante”

Assange está em uma cela trancado 20 horas por dia. Passa entre 30 minutos a 1 hora no pátio, e apenas nas outras 3 ou 4 horas pode interagir com outros prisioneiros. Isso revela as verdadeiras ditaduras que são os países “democráticos” do capitalismo.