Prisão arbitraria
O relator da ONU, afirma que Assange se encontra preso há 10 anos por acusações de supostos crimes que já foram retirados por falta de provas
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
julian-assange-window-1120-getty
Julian Assange | Foto: AF

Nesta terça-feira (8), o relator da Organização das Nações Unidas (ONU) contra a tortura, Nils Melzer, por meio de nota oficial às autoridades britânicas, a libertação imediata do fundador do Wikileaks, Julian Assange.

Melzer, denuncia a prisão arbitraria de Assange que já fazem 10 anos desde a primeira vez. Também anunciou que o jornalista sofre de doenças respiratórias, e na prisão londrina Belmarsh, onde Assange está desde maio de 2019, tiveram teste positivo para Covid 19. Dos 160 internos, 65 contraíram corona vírus.

“Assange não é condenado nem representa uma ameaça a ninguém, por isso o seu confinamento prolongado e solitário, numa prisão de segurança máxima, não é necessário nem proporcionado, carecendo claramente de qualquer base legal”, disse Melzer.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas