Relator da ONU denuncia ilegalidade na proibição de entrevistas a Lula

ONU (2)

Da redação – O relator independente da ONU para a proteção da Liberdade de Expressão, David Kaye, criticou em carta enviada às autoridades brasileiras a decisão dos golpistas de proibir o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) de conceder entrevistas na prisão.

“Expressamos nossa preocupação sobre a decisão de prevenir a imprensa de entrevistar Lula na prisão”, escreveu no documento datado de 10 de outubro, à época envolvendo a proibição ao jornal golpista Folha de São Paulo. Kaye pediu uma resposta do Brasil no prazo de 60 dias, o que não ocorreu até o vencimento do período, levando a solicitação de uma posição por parte do Itamaraty que afirmou que enviará o esclarecimento em breve.

A comunicação foi dirigida à missão do Brasil na ONU, que repassou o documento para Brasília, infelizmente, em mais um gesto jurídico que não irá libertar o preso político. 

No dia 19 de outubro, a procuradora-geral da República, a golpista, Raquel Dodge, determinou em manifestação enviada ao STF, que Lula fosse impedido de conceder entrevistas da prisão. Segundo ela, Lula “é um detento em pleno cumprimento de pena e não um comentarista de política”.

É preciso lotar as ruas do país neste dia 10, pois está mais do que claro que medidas judiciais não irão libertar Lula. Apenas grandes mobilizações, uma greve geral da CUT, movimentando as bases do PT, dos movimentos sociais contra o governo golpista.

Fora Bolsonaro e todos os golpistas! Liberdade para Lula!