Reino Unido: parlamentares denunciam prisão política de Lula e exigem sua liberdade.

haus

Da redação – A prisão política de Lula, ocorrida em 7 de abril de 2018, às vésperas das eleições presidenciais no Brasil, vem sendo alvo de críticas e denúncias constantes por políticos, ativistas, militantes e trabalhadores de maneira generalizada em todo o mundo.

Dessa vez, 28 parlamentares do Reino Unido construíram e assinaram um manifesto que denuncia e escancara os motivos imediatos pelos quais a direita brasileira prendeu Lula: impedir que o ex-presidente ganhasse as eleições presidenciais.

A prisão de Lula e a consequente exclusão de seu nome do processo eleitoral constituem a principal fraude que abriu caminho para que a direita nacional, controlada pelo imperialismo, colocasse na presidência o ilegítimo, entreguista, fascista e golpista Jair Bolsonaro.

A ingerência do imperialismo sobre nosso sistema político é óbvia, ao ponto de termos um juiz federal treinado nos EUA, Sergio Moro, que trabalhou contra as empresas nacionais e contra o povo, por intermédio da operação Lava Jato, em favorecimento dos interesses dos grandes capitalistas.

Como pagamento pelos serviços prestados de boicote e sabotagem da economia brasileira, Moro foi nomeado ministro da Justiça e aguarda ansioso uma vaga no venal STF (Supremo Tribunal Federal).

Abaixo reproduzimos o manifesto na íntegra:

Lula do Brasil é um prisioneiro político. Ele deve ser libertado agora

Condenamos a contínua perseguição do ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva, que foi preso há um ano. Lula foi favorito para vencer as eleições presidenciais de 2018 até que foi preso e impedido de concorrer, em um movimento condenado pelo comitê de direitos humanos da ONU.

A eleição foi posteriormente vencida pelo extrema-direita Jair Bolsonaro, que disse esperar que Lula “apodreça na prisão”. Surpreendentemente, o juiz Moro, que supervisionou o julgamento de Lula, foi nomeado ministro da justiça de Bolsonaro. Lula é um prisioneiro político. Pedimos a sua liberdade e nos solidarizamos com os que lutam pela democracia no Brasil.

Richard Burgon MP
Diane Abbott MP
Daniel Carden MP
Emma Dent Coad MP
David Drew MP
Karen Lee MP
Grahame Morris MP
Laura Pidcock MP
Danielle Rowley MP
Lloyd Russell-Moyle MP
Laura Smith MP
Jean Corston Casa dos Lordes
Llin Golding Câmara dos Lordes
Neil Findlay MSP
Bill Kidd MSP
Tariq Ali
John Pilger
Frances O’Grady Secretário Geral, TUC
Len McCluskey Secretário Geral, Une-se o secretário-geral da União
Dave Prentis , secretário-geral do Unison
Tim Roache , secretário-geral do GMB
Paddy Lillis , USDAW
Manuel Cortes Secretário-geral, secretário-geral do TSSA
Mick Whelan , Aslef
Ronnie Draper Secretário Geral, BFAWU
Chris Kitchen Secretário Geral, NUM
Tony Burke e Christine Blower Vice-Presidentes, Brazil Solidarity Initiative