Reino Unido: May confirma solicitação de prorrogação para o Brexit

theresa-may-brexit-dealy
Londres, 20 mar (Prensa Latina) A primeira-ministra britânica, Theresa May, confirmou hoje que pediu formalmente à União Européia (UE) para adiar até 30 de junho a saída do Reino Unido do bloco.
A dirigente conservadora fez o anúncio nesta quarta-feira na Câmara dos Comuns durante seu habitual intercâmbio semanal com os parlamentares, a quem advertiu que ela não está preparada para demorar o Brexit, como lhe conhece à decisão dos britânicos de abandonar a aliança, para além do dia 30 de junho.

Depois de acusar os deputados de trair a vontade de 51,8 por cento dos britânicos que em 2016 votaram em prol de romper com a UE, May anunciou que seguirá insistindo para que o Parlamento aprove o acordo inicialmente pactuado entre Londres e Bruxelas para consumar o divórcio dentro de nove dias.

A chefa do governo britânico está obrigada, não obstante, a introduzir alguma mudança substantiva no seu plano de saída, pois o presidente da Câmara dos Comuns, John Bercow, advertiu-lhe nesta semana que não aceitará votar três vezes a mesma moção.

O principal obstáculo para a consumação do Brexit é uma cláusula que pretende impedir o estabelecimento de uma fronteira entre Irlanda e a província britânica de Irlanda do Norte.

Com o chamado backstop, que a UE assegura terá um caráter temporário, o território norte irlandês seguiria sob as regulações aduaneiras e comerciais europeias até ambas as partes assinem um novo acordo, mas os euroescépticos britânicos alegam que salvaguarda os manterá atados para sempre ao bloco.

Em caso que a aliança negar-se a conceder o adiamento solicitado por May, que na quinta-feira viajará a Bruxelas para participar em uma Cúpula Européia, o Reino Unido teria que abandonar o bloco em 29 de março, com ou sem acordo.

Por outro lado, uma extensão para além do dia 30 de junho obrigaria os britânicos a participar nas eleições para a Eurocâmara previstas para maio próximo.