Dover
Sem controle do vírus, Reino Unido envia tropas para “conter” protestos de caminhoneiros causados pelas medidas autoritárias dos países imperialistas europeus
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Pose imperialista (1)
Líderes imperialistas de França e Reino Unido | Foto: Andrew Parsons / No 10 Downing Street

Por conta do descobrimento de uma nova cepa no Reino Unido, com mutações que aumentam significativamente o contágio. A França e demais e países europeus fecharam suas fronteiras para tentar amenizar toda a pressão política resultante da total falta de controle que os países imperialistas europeus tem sobre o coronavírus. Obviamente, a medida tomada foi restringir direitos da população, não tratar a pandemia.

Com isso, o porto de Dover, principal instância que liga o Reino Unido à França foi fechado, o que levou a um acúmulo de caminhoneiros. O problema só foi parcialmente resolvido na última quinta-feira, quando os países acordaram o fim do bloqueio francês. Apesar da medida, o tráfego permanece lento e, segundo previsão, demorará vários dias para se normalizar.

O acontecimento demonstra na prática o tamanho da crise que os países imperialistas tem com a pandemia.

As medidas que foram tomadas para “controlar” a situação, além do bloqueio, incluíram a já costumeira repressão. Nada que surpreenda àqueles que conhecem de perto os países imperialistas europeus. Desde que o bloqueio foi estabelecido, vários protestos feitos por caminhoneiros foram reprimidos por tropas enviadas pelo Reino Unido para “conter” a situação em Dover, alguns incluindo confronto físico.

De início, as tropas eram 300 soldados militares britânicos, um contingente considerável para tomar conta do que na verdade é uma fila de pessoas iradas, e com muita razão, mediante as arbitrariedades dos governos europeus. Porém, com a situação se tornando mais aguda com o tempo, ao invés de resolver o conflito por meios pacíficos, a resposta foi o aumento da repressão. Mais 800 soldados britânicos foram enviados para reprimir o início de revolta dos caminhoneiros, que ficaram por dias parados aguardando passagem.

Após a liberação para passagem, outra circunstância novamente atravancou o embarque dos caminhoneiros. Desta vez, todos aqueles que fossem adentrar em território francês teriam que testar negativo para covid-19. Porém, como sabe-se, os governos não tem a mínima organização e força de vontade política de fazer as coisas funcionarem quando o assunto é realizar medidas contra pandemia.

A pandemia gera uma série de entraves e de instabilidades políticas na Europa, em especial nos países europeus, que agora demonstram a total falência do capitalismo nos seus países mais avançados. Porém só o que se observa para “reverter” o descontentamento da população é a repressão, com agressão e prisões nos protestos feitos todos os dias pelos caminhoneiros em Dover.

É mais do que importante ressaltar que a burguesia, seja de onde for, não tem uma solução positiva para o povo quando o assunto é um problema real, muito menos a pandemia de Covid-19. Só os trabalhadores tem real interesse em superar a pandemia e estabelecer uma verdadeira solução para o problema.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas