Fundeb
Fundo foi regulamentado na sexta de Natal, a regulamentação é tão “boa” que a direita, e até Bolsonaro, concordam plenamente
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
pcdob
Enquanto a esquerda comemora a direita prepara mais ataques contra o povo. | Foto: Richard Silva/ PCdoB na Câmara.

Na última sexta-feira, no Natal, Bolsonaro regulamentou o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb). Apesar de muita empolgação da esquerda com o fundo, que é exaltado como uma vitória, a direita e até mesmo Bolsonaro declararam concordar com sua existência e regulamentação. Ainda sim, a esquerda se ilude com a pauta e se aprofunda ainda mais na política de frente ampla.

A regulamentação do fundo procedeu como será a divisão dos recursos e como ocorrerá a complementação feita pela União para Estados e Municípios. Além de concretizar na prática o incremento de 2%, 12% no total, de recursos repassados da União para estados e municípios para a educação básica no ano que vem.

A lei estabelece limitações para o uso dos recursos como o número de alunos matriculados na rede pública de educação básica e os indicadores da educação, no caso as avaliações externas feitas em todo Brasil. Ademais, o texto também estabelece como será feito o monitoramento do desempenho escolar e a fiscalização do uso das verbas destinadas.

Ficará a cargo da Comissão Intergovernamental de Financiamento para a Educação Básica de Qualidade especificar as novas diretrizes relativas ao nível socioeconômico dos alunos, como será estabelecida a disponibilidade de recursos vinculados à educação e a quantidade de recursos que poderão ser arrecadados por estados e municípios.

O texto também cita a atuação dos Conselhos de Acompanhamento e de Controle Social, que fazem o acompanhamento do Fundeb, o que na prática já acontecia.

A forma atual da lei obriga que Estados e municípios informem os dados necessários exigidos pelo sistema de informações da educação para ter acesso ao fundo. Caso as condições estabelecidas sejam descumpridas, as transferências de recurso e as operações de créditos podem ser suspensas. Portanto, fixaram-se cláusulas de controle para o acesso ao recurso.

É preciso esclarecer alguns aspectos sobre o Fundeb atual que são distorcidos pela ilusão da esquerda. Primeiro, ao contrário do que é dito pela esquerda parlamentar e do que é veiculado na imprensa golpista, não há aumento no volume do repasse, mas sim um aumento no percentual de repasse da União para estados e municípios, da ordem de 2%.

Tal aumento é irrisório se comparado a queda de arrecadação, e portanto, a queda no volume do montante para o financiamento da Educação Básica. Pior ainda se comparado com a reivindicação da categoria dos professores, que tem como reivindicação histórica uma aumento para 40% do repasse da União.

Em segundo lugar, é preciso ressaltar que o novo Fundeb, não é realmente novo, é uma aprofundamento do controle sobre a educação sem um aumento expressivo no repasse, podendo inclusive negar recursos. Em nenhum momento, nem do ponto de vista técnico, nem do ponto de vista político, o Fundeb pode ser considerado um avanço para esquerda. O único caminho para educação é a mobilização da juventude e demais setores ligados a educação para retirar a direita do poder. Sem isto, qualquer “conquista” é mera ilusão.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas