Extermínio dos opositores
É evidente que tudo isso se trata de um ataque por parte do imperialismo contra seus inimigos políticos, agindo por meio de uma ditadura imposta pelo governo fascista de Ivan Duque
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
naom_589adb3d57a88
Secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo. | Créditos: Reuters

Em mais um ataque imperialista, o governo dos Estados Unidos, através de seu porta-voz Mike Pompeo ofereceu, nesta quinta-feira (18), recompensas de até US$ 10 milhões por informações sobre Jesús Santrich e Iván Márquez, dois ex-chefes das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC).

Num total cinismo, Pompeu afirmou que “ambos são ex-líderes das FARC que abandonaram o processo de paz e têm um longo histórico de participação em atividades de tráfico de drogas, o que levou a suas acusações penais”. Ainda, segundo o chefe da diplomacia estadunidense, há preocupação de que o governo de Nicolás Maduro “esteja fornecendo apoio a grupos armados ilegais da Colômbia”. Ora, por que não matar dois coelhos com apenas uma cajadada? Ao avançar contra Maduro e as FARC, o imperialismo poderia se livrar de dois empecilhos para a implementação de sua política de terra arrasada na região.

Vale salientar que casos de perseguição e assassinatos de ex-membros das FARC são recorrentes em todo o território colombiano. Desde o acordo de paz, em 2016, 201 ex-combatentes foram assassinados sob a tutela do governo fascista de Ivan Duque. Diante dessa traição por parte do governo de extrema-direita de Ivan Duque, ex-combatentes vieram a público, através de vídeo, anunciar que voltaram a pegar em armas, citando “traição do Estado” em relação ao pacto realizado com o governo do ex-presidente Juan Manuel Santos. As FARC que se institucionalizou e agora, portanto, é um partido, vem fazendo denúncias quanto a presença de um grupo fascista que estaria perseguindo ex-combatentes na cidade de Argélica. Denúncia feita em abril, destaca que um grupo armado de 100 pessoas estaria revistando casa por casa atrás de ex-membros do grupo. Diante dessa ação, por parte do governo o que se tem é uma completa omissão, assim como de outros órgãos que nada fazem para interferir concretamente nessa questão, como é o caso da ONU (Organização das Nações Unidas) – organização controlada pelo imperialismo – lembremos.

Numa política de cooptação de setores oportunistas, os Estados Unidos – através do Departamento de Estado – estimula grupos mercenários ao oferecer recompensas milionárias pela cabeça de vários de seus opositores, entre eles Nicolás Maduro (US$ 15 milhões) e Iván Márquez (US$ 5 milhões). Já o fantoche do Imperialismo estadunidense, Iván Duque, procura sustentar as bases para uma operação militar contra a Venezuela sob a direção do imperialismo ao afirmar que, assim como Márquez e Santrich, líderes do Exército de Libertação Nacional (ELN) também se escondem dentro dos limites do território bolivariano. É evidente que tudo isso se trata de um ataque por parte do imperialismo contra seus inimigos políticos. Agindo por meio de uma ditadura imposta pelo governo fascista de Ivan Duque, o imperialismo busca avançar contra as FARC e o governo bolivariano. É preciso, portanto, denunciar essa política de extermínio contra os líderes das FARC e a tentativa de derrubar o governo de Nicolás Maduro.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas