Em breve, o novo epicentro
Dados demonstram que a região Nordeste será, em cerca de um mês, a mais atingida pela pandemia do novo coronavírus. Região está próxima de ultrapassar o epicentro, hoje no Sudeste.
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Revista Veja
Matéria: Aumento da pobreza do Brasil
Personagens: Eduardo Bizerra da Silva(pai, catador de papel), Fabiana(mãe) e filhos Alex, Alessandra e Alana(bebê de oito meses)
Foto: Cristiano Mariz
Data: 29/11/2017
Local: Plano Piloto - Brasília - DF
Pobreza extrema no Nordeste, um cenário propicio para a pandemia. | Cristiano Mariz/Veja.

De acordo com os últimos dados do Ministério da Saúde, o Nordeste está prestes a se tornar a região com maior número de casos confirmados de coronavírus no Brasil, superando o Sudeste, por muito tempo disparado a frente.

São cerca de 120 mil pessoas infectadas, levando em conta apenas os dados oficiais, nos nove estados da região, já no Sudeste, o número está “apenas” com 11 mil a mais, totalizando 131 mil casos.

Há um mês, a região concentrava 17,6% dos casos registrados em todo território nacional. O aumento, foi de mais de 77% neste breve período, correspondendo agora a 31,2% de todos os casos nacionais.

Em números, cerca de 25% da população brasileira vive na região, no entanto o número de casos corresponde a nível nacional um valor muito maior (31%).

Assim como a relação entre os países europeus e o Brasil, o Nordeste é uma das regiões mais atrasadas do país. A fome, a miséria e a extrema desigualdade social estão presentes em todos os estados, um terreno fértil para a proliferação do vírus.

Outro fator que marca esta crise é a presença das fortes oligarquias, controladoras dos estados, das quais representam um forte retrocesso social e econômico, atingindo o povo nordestino em um estágio ainda mais aprofundado de exploração.

Dessa forma, o Nordeste é junto ao Norte e o Centro Oeste, uma das regiões  mais massacradas, mesmo em tempos “normais”. Com a pandemia do novo coronavírus e a crise econômica, esta situação aprofundou-se.

Se em grandes cidades como São Paulo care-se de investimentos na área da saúde, o Nordeste sequer tem, em muitas cidades, condições de fornecer um minimo atendimento qualificado.

Neste momento, é imperativo da situação a necessidade de organizar e mobilizar os trabalhadores contra este verdadeiro massacre em todo país, com especial destaque a população nordestina, a que mais irá sofrer no ápice da pandemia. A exemplo do Conselho Popular de São Félix do Coribe, na Bahia, criado pela política do PCO, a esquerda deve agir de imediato, abandonando os escusos acordos com as oligarquias, como a família Gomes, e impulsionar a luta por um verdeiro governo dos trabalhadores.

Compartilhar no facebook
Compartilhe no seu Facebook!
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no telegram
Telegram
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no reddit
Reddit
Compartilhar no facebook
Compartilhe
Compartilhar no twitter
Tuite este artigo!
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no email
Compartilhar no reddit
Relacionadas