Reforma da Previdência de Bolsonaro: “moderno” é trabalhar até morrer

jjk

Como parte do governo ilegítimo de Jair Bolsonaro, o pacote de ataques contra os trabalhadores segue avançando de maneira desenfreada. Foi anunciada na última segunda-feira carta que diz respeito a Reforma da Previdência cujo o governo golpista quer implementar. A carta foi lida na abertura do legislativo, e a proposta de reforma fora apresentada como “moderna” e “fraterna”, além da afirmação demagógica da medida que estão propondo, também se colocou que este seria o início de uma grande mudança no país, lê-se: uma grande ofensiva contra os trabalhadores.

A proposta igualou a idade entre homens e mulheres para se aposentar (65 anos), e o tempo de contribuição aumentou mais 10 anos, ou seja seriam 40 anos de contribuição. Quer dizer, a política que o governo Bolsonaro tem para oferecer à população é a de trabalhar até morrer. Segundo o ministro golpista da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, a proposta já estaria consolidada e pronta para somente ser enviada para a Câmara dos Deputados até o fim do atual mês.

Outro ponto que está sendo usado pelo governo ilegítimo, é o de que se não houver reforma, os impostos irão drasticamente aumentar. O que não passa de uma desculpa para colocar a crise criada pelos próprios golpistas na conta dos trabalhadores. Essa é apenas a continuação do que já se iniciou com o golpe de Estado, o ataque que vem sendo promovido contra os trabalhadores somente irá se aprofundar com o governo fraudulento de Bolsonaro.

Se faz necessária uma grande mobilização contra o governo que foi eleito pela fraude eleitoral, fazer um grande chamado a todos os trabalhadores e suas organizações para impulsionar a luta diante da palavra de ordem “Fora Bolsonaro e Todos os Golpistas” e barrar a reforma que quer massacrar os trabalhadores e promover um verdadeiro assalto a previdência social da população.