Aqui não se fala mal do futebol brasileiro

PSG

Jogador é punido por não querer usar camisa

Alegando a questão religiosa, jogador não quis usar camisa LGBT e foi punido por seu clube

idrissa-gueye-recebe-cobranca-no-psg

Caça a bruxa identitária se volta contra os povos oprimidos – Foto: Reprodução

O meio-campista do Paris Saint-Germain, Idrissa Gueye, é o mais recente alvo de cancelamento do identitarismo. Segundo matéria da RT desta segunda-feira (16), o jogador está na mira dos identitários ligados a grupos LGBT franceses.

No jogo desse último sábado (14), pela League 1, contra o time do Montpellier, o jogador ficou de fora da partida vencida pelo PSG por 4-0, numa clara punição que recebeu dos donos da equipe parisiense por recusar-se a vestir uma camisa feita em solidariedade com o dia Internacional Contra Homofobia, Bifobia e Transfobia. Tal recusa da camisa, que foi doada por Messi e companhia, e exibia os números dos jogadores nas cores do arco-íris (a cor que representa a bandeira LGBT), captou a atenção e a ira de alguns grupos que logo pediram o cancelamento e a punição do jogador, exemplos claros de como a política identitária, ao invés de pregar a tolerância entre as pessoas, consiste na punição.

Artigos Relacionados

“Homofobia não é uma opinião, mas sim um crime”, publicou o grupo LGBT Rougue Direct em sua conta no Twitter.

Ou seja, em nome de uma suposta “luta” contra a opressão, oprime-se mais. A censura da liberdade de expressão inicia-se, e o pretexto é de “crime de ódio”. Alegam que, combatendo opiniões, estão combatendo crimes e o ódio. É, antes de tudo, uma ideologia que serve aos interesses do imperialismo, perseguindo e censurando aqueles que se colocam contrários à sua imposição.

“A LFP (Liga Francesa) e o PSG devem pedir para Gueye se explicar imediatamente”. Diz o mesmo grupo. Por quê? O jogador, inclusive africano e negro, da religião muçulmana, já apareceu em mais de 100 jogos pelo PSG. Agora, por uma escolha pessoal que nada tem a ver com o futebol, é punido injustamente.

Analisando os comentários do artigo da RT em questão, é interessante notar quão impopular vem se tornando as pautas identitarias e, até mesmo, perigosas às próprias comunidades que essa ideologia julga defender.

Um usuário e leitor do canal russo de notícias respondeu: “Eu apoio a decisão de Gueye de não dar apoio a uma agenda que ele não segue”. Outro comenta que “[…] os LGBT podem fazer o que quiserem e não devem ser perseguidos se não machucam ninguém. Mas o que algo como a preferência sexual tem a ver com uma partida de futebol?”

Fica claro que o trabalho do identitarismo, pai do cancelamento atual, é, de fato, pregar o clima de caça às bruxas da era moderna.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.