Aqui não se fala mal do futebol brasileiro

Clube Empresa

Capitalistas fecham cerco sobre privatização do Vasco

Empresários da 777 Partners chegam ao Brasil para observar partidas em meio à finalização das negociações acerca da privatização do time

13827193704_e6fea67e1f_o (1)

Somente a mobilização das torcidas podem impedir que os seus clubes sejam dilapidados – Foto: Reprodução

Na próxima quinta-feira (26), os capitalistas do grupo de investimentos Partners 777 chegam ao Rio de Janeiro para avançar na aquisição do departamento de futebol de um grande time brasileiro: o Gigante da Colina de São Januário. Eles vão acertar os últimos detalhes da negociação enquanto assistem aos jogos do Vasco.

Espera-se que, caso se concretize o destino do time carioca, ele seja mais vitorioso do que o de Gênova, onde estes capitalistas têm 99,9% das ações. O time de Gênova foi rebaixado para a segunda divisão na Itália.

Eles já realizaram um aporte de R$ 70 milhões de reais em março deste ano. Além disso,  o contrato de exclusividade de negociação entre as duas partes foi estendido por mais um mês.

Pelo que foi anunciado, o Partners 777 vai adquirir 70% da Sociedade Anônima do Futebol (SAF) vascaína por R$ 700 milhões de reais em três anos.

A mudança do estatuto do clube já foi aprovada pelo conselho deliberativo e pela assembleia. Será necessária a aprovação do contrato nas duas instâncias para que ocorra a transferência do futebol do clube para a SAF.

O Vasco vai se juntar aos outros times que estão sendo seduzidos pelo canto das sereias da empresa como tábua de salvação. Atualmente, nas duas principais divisões do futebol brasileiro, já entraram nesta barca os seguintes clubes:  Bragantino, Cuiabá, Cruzeiro, Ituano e Botafogo. Todavia, muitos outros também estão desejando nela entrar: América MG, Chapecoense, Athletico Paranaense, Juventude,  Coritiba, Fluminense e Bahia.

Apesar disso, como foi debatido no programa esportivo da Causa Operária TV, o “Na Zona do Agrião”, transmitido em 15 de maio, caso todos se tornem clube-empresa, isso seria capaz de impedir a queda  dos quatro últimos? Mais importante ainda: as empresas não quebram? Quantas vezes seus donos simplesmente não pagam os  trabalhadores, destroem o patrimônio da empresa e somem sem pagar a quem devem?

Quem já viveu a experiência de cobrar uma dívida em outro estado do Brasil pode imaginar a dificuldade que é cobrar de alguém que viva no exterior. O que pode acontecer quando o tal capitalista cansar de brincar de dirigente de futebol? Será que o seu herdeiro ou o próximo comprador vai estar interessado em ganhar títulos? Ou só em vender os melhores talentos?

No referido programa, foi citado o caso do Parma, clube italiano associado à Parmalat. O dono desta empresa realizou uma falência fraudulenta em 2004, e um dos seus efeitos foi a falência do clube.

O atual clube Parma, que está na série B, foi refundado em 2015 para representar a cidade de igual nome. Desta vez, os donos eram duas empresas, uma composta por sete empresários locais e a outra, por torcedores. Em 2020, um grupo estadunidense adquiriu 90% das ações do clube. Será que a história vai ser diferente desta vez?

No Brasil, já vimos clubes que sofreram devido às associações com grandes empresários. O caso Parmalat e Palmeiras ou o Corinthians e MSI são dois exemplos desastrosos. Capitalistas não têm compromissos com os clubes que adquirirem, e sim com o lucro.

As torcidas destes clubes podem e devem comemorar as vitórias dos seus times. Entretanto, precisam estar atentas, pois o risco destes capitalistas nas suas operações bilionárias devastarem os clubes, principalmente os mais tradicionais e populares, é enorme. Somente as torcidas podem evitar que tal destino nefasto aconteça.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.