Aqui não se fala mal do futebol brasileiro

Hoje no Futebol

45 anos de um dos maiores jogadores da história: Ronaldo Fenômeno

De origem humilde, assim como a maioria dos atletas brasileiros, Ronaldo ganhou tudo que disputou e foi considerado por três vezes o Melhor Jogador do Mundo pela FIFA.

Ronaldo na abertura da Copa do Mundo da Rússia em 2018. – Foto: Dimitri Sadovnikov

O dia de hoje marca os 45 anos do nascimento de um dos maiores jogadores da história do futebol brasileiro e mundial: Ronaldo Luís Nazário de Lima, o Ronaldo, Ronaldinho ou ainda Ronaldo Fenômeno.

O craque brasileiro nasceu no Rio de Janeiro em 22 de setembro de 1976. Com origem humilde, assim como a maioria dos grandes atletas futebolísticos do Brasil, Ronaldo passou sua infância no subúrbio carioca vivendo no bairro de Bento Ribeiro.

Ronaldo sonhava em jogar no Flamengo e chegou a treinar no clube, mas como a passagem até o Centro de Treinamento pesava no orçamento da família Nazário o sonho foi adiado. As dificuldades financeiras levaram o jogador a treinar no modesto São Cristóvão, clube que o acolheu e onde o craque pode iniciar a sua carreira profissional.

Em 1990 e ainda muito jovem com apenas 14 anos, Ronaldo teve seu passe econômico adquirido pelo empresário Alexandre Martins e seu sócio Reinaldo Pitta que pagaram a quantia de US$ 7.500 ao São Cristóvão pelo atleta.

Na sequência Ronaldo foi oferecido ao Botafogo e ao Fluminense, que numa cegueira incrível recusaram contar com o jogador em seu elenco. Jairzinho, outro grande ídolo do futebol brasileiro, havia assistido Ronaldo jogar no São Cristóvão e decidiu ele próprio investir no atleta desembolsando US$ 10 mil pelo jogador que logo em seguida teve seu passe comprado pelo Cruzeiro de Minas Gerais.

Um garoto ainda, Ronaldo faz sua estreia no time mineiro aos 16 anos. Imediatamente destaca-se pelo clube na disputa do Campeonato Brasileiro de 1993. Em 1994 consagra-se artilheiro do Campeonato Mineiro marcando 22 gols pela Raposa.

Nessa altura o talento de Ronaldo já era indiscutível, o que despertara o interesse de clubes da Europa. No mesmo ano, Ronaldo é transferido para o PSV Eindhoven dos Países Baixos que adquiriu o passe do atleta por US$ 6 milhões.

Ronaldo é então convocado para sua primeira Copa do Mundo em 1994, mas acabou ficando no banco de reservas do time treinado por Carlos Alberto Parreira e que se consagraria tetracampeão mundial.

Após sua convocação para a seleção e o título mundial de 94, Ronaldo é transferido em 1996 para o Barcelona, da Espanha, por US$ 20 milhões. Foi por sua atuação no clube Catalão que Nazário seria eleito pela primeira vez o “Melhor Jogador do Mundo” pela FIFA. Também é fruto de sua atuação monstruosa no Barcelona o apelido de “El Fenómeno” ou “O Fenômeno”.

Da Catalunha Ronaldo desembarca na Itália, mais precisamente em Milão onde passa a atuar pela Internazionale. Já em solo italiano Ronaldo é reeleito em 1997, pela segunda vez, “O Melhor Jogador do Mundo” pela FIFA.

Também é dessa época as primeiras lesões do jogador, principalmente na temporada 1998/1999. Na final da Copa do Mundo de 1998, na França, em que o Brasil perdeu o título para o país local, Ronaldo sofre com uma convulsão. Após um longo tratamento, e o nascimento do seu primeiro filho, Ronald, Ronaldo volta a jogar futebol em 2000.

Já em 2002, Ronaldo disputa sua terceira Copa do Mundo com a Seleção Brasileira treinada por Luiz Felipe Scolari, e desta vez consagra-se campeão dentro de campo sendo o artilheiro da competição com oito gols, dois deles contra a Alemanha na final. Ronaldo merecidamente ergueria a taça do pentacampeonato mundial do Brasil no Japão, em Yokohama. Ainda em 2002, é eleito pela terceira vez “O Melhor Jogador do Mundo” pela FIFA.

Depois do Penta, Ronaldo confirma seu retorno à Espanha, dessa vez para o Real Madrid onde divide o gramado com outros craques como Luís Figo, Zinédine Zidane, Raúl e o brasileiro Roberto Carlos.

Após cinco temporadas em Madrid, Ronaldo retorna à Itália em 2007, agora para atuar pelo Milan. Um ano depois o Fenômeno decide retornar ao Brasil e é anunciado pelo Corinthians que aposta na recuperação do jogador após uma grave lesão no joelho.

Retorno ao Brasil

Ronaldo Fenômeno estreou pelo Corinthians no dia 4 de março de 2009, em partida contra o Itumbiara pela Copa do Brasil em jogo realizado no estádio Juscelino Kubitschek, em Itumbiara-GO.

O então técnico corintiano Mano Menezes colocou Ronaldo em campo aos 22 minutos do segundo tempo, quando o Timão já vencia o Itumbiara por 2 a 0, em substituição ao também atacante Souza. A partida terminou com o mesmo placar.

Esta partida marcou o retorno de Ronaldo aos campos após sua lesão memorável no joelho, adquirida no futebol italiano. Sua recuperação durou um ano.

Após passar em branco na sua estreia pelo Corinthians, Ronaldo marca logo no segundo pelo clube, justamente no clássico contra o Palmeiras no Estádio do Pacaembu. O gol de Ronaldo parou a partida por diversos minutos e levou todos à euforia.

Como jogador do Corinthians, Ronaldo conseguiu conquistar dois títulos: o Campeonato Paulista invicto contra o Santos e a Copa do Brasil contra o Internacional – ambos em 2009. Ronaldo ainda marcou 35 gols anotados em 69 partidas disputadas pelo clube onde também viria a encerrar sua carreira.

Lula com Ronaldo no Palácio do Alvorada durante recepção aos jogadores do Corinthians campeões da Copa do Brasil de 2009.

Títulos na Carreira

Cruzeiro

Copa do Brasil: 1993

Campeonato Mineiro: 1994

 

PSV Eindhoven

Copa dos Países Baixos: 1995–1996

 

Barcelona

Recopa Europeia: 1996–1997

Copa do Rei: 1996–97

Supercopa da Espanha: 1996

 

Internazionale

Copa da UEFA: 1997–98

 

Real Madrid

Copa Intercontinental (Mundial de Clubes): 2002

La Liga: 2002–2003

Supercopa da Espanha: 2003

 

Milan

Supercopa da UEFA: 2007

 

Corinthians

Copa do Brasil: 2009

Campeonato Paulista: 2009

 

Seleção Brasileira

Copa do Mundo FIFA: 1994 e 2002

Copa América: 1997 e 1999

Copa das Confederações: 1997

Olimpíadas: Medalha de bronze em 1996

 

Prêmios individuais

Melhor jogador do mundo pela FIFA: 1996, 1997 e 2002

Melhor jogador do mundo pela revista World Soccer: 1996, 1997 e 2002

Ballon d’Or: 1997 e 2002

Onze d’Or: 1997 e 2002

Chuteira de Ouro da UEFA: 1997

Melhor jogador estrangeiro da La Liga: 1996–97

Trofeo Bravo: 1997 e 1998

Troféu Pichichi: 1996–97 e 2003–04

Troféu EFE: 1996–97 e 2002–03

Melhor jogador da Copa América: 1997

Chuteira de Bronze da Copa das Confederações: 1997

Artilheiro do ano – IFFHS: 1997

Melhor jogador da Serie A Italiana: 1997–98

Melhor jogador estrangeiro da Serie A Italiana: 1997–98

Jogador do ano da UEFA: 1997–98

Atacante do ano da UEFA: 1997–98

Seleção do ano da European Sports Media: 1996–97, 1997–98[127]

Bola de Ouro da Copa do Mundo: 1998

Bola de Prata da Copa do Mundo: 2002

Chuteira de Ouro da Copa do Mundo: 2002

Melhor Jogador da Copa Intercontinental (Mundial de Clubes): 2002

Seleção do ano da UEFA: 2002

FIFA 100: 2004

Chuteira de Bronze da Copa do Mundo: 2006

Prémio Golden Foot: 2006

Melhor jogador do Campeonato Paulista: 2009

Quinto melhor jogador Sul-Americano da história (Jornal L’Équipe)

Hall da Fama do Futebol Italiano: 2015

Bola de Ouro Dream Team: melhor centroavante da história

IFFHS ALL TIME WORLD MEN’S DREAM TEAM (Time B)

 

Artilharias

Supercopa Libertadores de 1993 (12 gols)

Campeonato Mineiro de 1994 (23 gols)

Eredivisie de 1994–95 (30 gols)

La Liga de 1996–97 (34 gols)

Copa América de 1999 (5 gols)

Copa do Mundo de 2002 (8 gols)

La Liga de 2003–04 (25 gols)

Eliminatórias da Copa do Mundo de 2006 (10 gols)

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.