Não há mais tempo a perder

Anterior
Próximo

Pró Cultura ep. 4

Otakus de todo mundo, uni-vos! Uma resenha sobre o anime de Marx

"O Líder": Conheça o anime chinês feito em homenagem aos 200 anos do nascimento de Karl Marx

Marx sendo confrontado em uma das cenas do anime – Foto: Reprodução

Com a intenção de atrair a atenção da juventude para questões políticas e sociais, o Partido Comunista Chinês produziu um anime que narra a vida do grande revolucionário Karl Marx. Apesar do design gráfico não ser muito bom comparado às animações japonesas do mesmo estilo, o roteiro se destaca muito por tratar de forma leve e interessante toda trajetória de Marx em sua vida política, familiar, profissional e até mesmo amorosa.

A série foi produzida pelo estúdio Wawayu Animation em 2016, e foi oficialmente publicada na plataforma de streaming Bilibili em comemoração ao bicentenário do nascimento de Marx. Para a construção do roteiro, esteve envolvida no trabalho o gabinete marxista, uma equipe de pesquisadores da Academia Chinesa de Ciências Sociais e outros estudiosos do marxismo.

Artigos Relacionados

Uma coisa que chama a atenção é ser mostrado desde os primeiros episódios como Marx, ainda na adolescência, conheceu sua esposa Jenny, com quem ficou até a morte. Além disso, a animação retrata cenas em que ele está bebendo e festejando com os amigos, como faz qualquer jovem universitário. Esse lado “romântico” e pessoal que quase nunca é mencionado foi trazido à tona no anime, o que deixa a trama ainda mais divertida. É curioso pensar que Marx viveu experiências de adolescentes comuns e é “gente como a gente”.

Muitas vezes, nós construímos uma imagem muito engessada e séria de grandes pensadores, como se eles fossem semideuses, principalmente daqueles que mais respeitamos. Isso não é algo positivo, já que pode fazer com que algumas pessoas deixem de se interessar pela filosofia e política achando que é algo inacessível para cidadãos comuns, ou até mesmo coisa de “nerdola” que não tem vida social. Nesse sentido, o anime se esforça para tratar a figura de Marx por um ângulo positivo, mostrando uma face mais sociável e humana, mas mantendo a trajetória política como foco da narrativa, o que com certeza fez muitos jovens se identificarem e se emocionarem mais com a história.

Outro fator positivo é que a série enfatiza que Marx não era só um teórico que escrevia livros, um mero intelectual. Mas sim, um verdadeiro revolucionário que trabalha o tempo todo para colocar em prática o que defende e utiliza seu conhecimento para lutar por justiça e libertação da classe operária.

Para os entusiastas da filosofia, muitos conceitos do marxismo, hegelianismo e kantianismo são abordados, explicados e até mesmo debatidos ao decorrer dos episódios. Além disso, a militância é tratada de maneira realista, deixando de lado toda aquela construção de que a revolução é algo feito por jovens “rebeldes e aventureiros” e expondo as reais dificuldades de se comprometer com a luta revolucionária: o exílio, a morte, a prisão e a miséria, de forma emocionante, para fazer qualquer marmanjo “suar as córneas”.

Contrariando as representações identitárias e revisionistas da relação de Marx com a sua esposa, o anime mostra que Jenny era uma mulher normal para a época. Ela não o ajudava com a escrita dos textos, como é retratado no filme “O Jovem Marx”, por exemplo. Ela auxiliava o marido como uma mulher nascida em 1843 podia: dando apoio emocional, incentivando, reescrevendo os textos para melhorar a caligrafia etc.

Ademais, o armamento da população é fortemente defendido e o estudo teórico é apresentado como algo muito importante para o desenvolvimento da juventude revolucionária. Sim, é de botar a esquerda pequeno-burguesa para correr!

É muito interessante como a esquerda revolucionária tem investido em propagandas políticas mais modernas, que agradam o “jovem médio do século XXI”. Isso tende a trazer bons frutos, aproximando cada vez mais da militância a juventude, setor mais revolucionário da sociedade.

Se interessou? Quer saber mais? Então assista ao anime clicando neste link e confira o podcast do Pró-Cultura sobre o assunto neste link!

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.