Não é só Bolsonaro: o neoliberalismo causou a fome no Brasil

Ataque às Mulheres

Médicos de extrema-direita fazem campanha contra o aborto

Médicos contra o direito ao aborto

Outdoor contra o aborto em Fortaleza – divulgação

Enquanto a maior parte das lideranças de esquerda encontra-se amedrontada por conta da pandemia, a extrema-direita segue ocupando espaço.

Se valendo de um moralismo rasteiro, que opõe o bem como contra mal, no último dia 2, médicos e representantes da sociedade civil de extrema-direita deram início em Fortaleza (CE) a campanha “Ainda há bem: proteger a vida e difundir o que é bom”, um nome genérico e ambíguo que não diz muita coisa de concreto, afinal o que “é o bom”?

Embora ainda não tenham deixado totalmente clara sua intenção, pois ainda há muito pouco material nas redes, instalaram outdoors em Fortaleza que versam desde o aborto até a “autonomia médica” para o tratamento de Covid-19.

Na verdade, o texto do outdoor diz “o tratamento precoce salva sua vida”, enquanto uma postagem no Instagram traz: “quem tanto fala em ciência não pode ignorar o tratamento precoce”, revelando uma neutralidade notável e deixando bem claro que tipo autonomia almejam.

O outdoor referente ao aborto prega que “quem defende a vida, não pode ser a favor do aborto” tentando convencer o leitor desavisado que se ele não quer, por exemplo, que quase 4.000 pessoas morram diariamente por uma única doença, obviamente também deve ser contra a legalização do aborto. O texto também dá a entender que as mulheres que buscam o aborto seguro sejam a favor da morte, como se fizessem isso por pura maldade ou esporte, e não por uma necessidade real.

Apesar do grupo se declarar “apartidário” – o que obviamente é uma farsa que visa confundir a população –  é impressionante seu alinhamento com Bolsonaro, que por meio de suas não-políticas públicas, parece se dedicar com todas as forças para ceifar a vida do maior número possível de brasileiros.

No sábado de Aleluia, o grupo também aproveitou para fazer demagogia com os mais pobres distribuindo cestas básicas na comunidade de Canindezinho, também em Fortaleza.

A inciativa é preocupante. Trata-se como sempre de um ataque que visa confundir e manipular a população pela via dos costumes, chamando a atenção para o que é insignificante e nem mesmo deveria estar em discussão (concordemos, a questão do aborto já deveria ter sido pacificada há tempos) e, assim, desviar o foco das questões fundamentais e urgentes, tendo como brinde a demonização do inimigo – a esquerda defensora do aborto e do “mau”.

Seria ingenuidade crer que as lideranças desse grupo de fato estão preocupadas com manutenção da vida alheia. No máximo, estão preocupados em manter o controle sobre a vida das mulheres. O mais lamentável é que dessa vez quem está encabeçando a campanha é um grupo de médicos, justamente aqueles que deveriam preservar a vida de suas pacientes e obedecer ao princípio do Estado laico. Isso não é novo, visto a dificuldade que diversas mulheres e crianças têm enfrentado para conseguir o direito ao aborto nos casos em que isso é permitido, mas já é um indício que essa ideia vem ganhando corpo e mais adeptos.

A extrema direita só se preocupa com a vida enquanto essa se encontra dentro do útero, depois disso, essa vida já se torna a vida de um potencial marginal, cuja vida perde seu valor imediatamente. Basta consultar qualquer discurso raivoso de Bolso-Trump, anti-imigrante, pró pena de morte – a coleção de boçalidades é extensa.

Se esse grupo se preocupa tanto com vidas, mesmo com aquelas que nem vingaram ainda, deveriam estar se mobilizando pela a vacinação massiva e distribuição de um auxílio emergencial digno. Enquanto 82% das famílias que moram em favelas precisam de doações para se alimentar, esse grupo torra dinheiro de origem duvidosa em meia dúzia de cestas básicas, outdoors contra a legalização do aborto e o, ainda mais duvidoso, tratamento precoce.

Mas ainda mais preocupante que tudo isso é a inércia da esquerda diante dos avanços da direita. Mobilização já! Às ruas pelo direito ao aborto, pela autonomia das mulheres sobre suas vidas, pela vacinação massiva e por um auxílio emergencial digno – isso sim pode salvar vidas.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.