Ministros do STF aprovam aumento do próprio salário para R$46 mil

Perversão das perversões.

Liberar as drogas e o aborto, contra o encarceramento

O capitalismo causa somente dor e morte

Brittney Poolaw foi sentenciada a quatro anos de prisão depois de um aborto espontâneo – State of Oklahoma

No Estado de Oklahoma, EUA, onde o aborto é legalizado, a indígena americana Brittney Poolaw de 21 anos foi processada e presa no mês passado por homicídio culposo. Brittney estava com quatro meses de gestação em janeiro de 2020, quando procurou um hospital e na sequência  sofreu o aborto espontâneo, foi acusada de homicídio culposo pois confessou uso de drogas ilícitas durante a gravidez. No laudo do exame apareceram indícios de metanfetaminas, no entanto o laudo não determina qual foi a causa da morte do feto. Aponta que uma anomalia genética, o descolamento prematuro da placenta e o uso materno de metanfetamina podem ter contribuído para o aborto.

Essa prática de processar e prender mulheres por terem tido aborto espontâneo que estariam associados ao uso de drogas ilícitas, não é nova. Tanto nos EUA quanto em outros países como El Salvador, que tem leis duríssimas contra o aborto. 

Artigos Relacionados

Entre 1973 e 2020, a NAPW – associação de advogadas que defendem a saúde e dignidade das mulheres grávidas e pais, identificou 1,6 mil casos do tipo, sendo 1,2 mil nos últimos 15 anos. Fica clara a política de ataques às mulheres realizada pelo imperialismo e pelos fascistas. 

Ao invés de darem cuidados médicos e psicológicos para uma pessoa portadora de uma doença, deram cadeia. 

Outra questão, é que as leis de agressão a fetos, que assegurariam proteção às mulheres grávidas de agressão física realizada por seus parceiros,  existentes em ao menos 38 Estados americanos, muitas criadas após a lei federal de 2004, devido a morte da grávida Laci Peterson, que resultou na condenação de seu marido Scott Peterson, estão sendo usadas contra as mulheres. 

O Coletivo de Mulheres Rosa Luxemburgo vem fazendo um amplo debate e campanha de conscientização da importância da legalização do aborto no Brasil, e pela legalização ampla das drogas. O motivo é muito simples, essas duas questões são do âmbito da saúde pública, e não casos de polícia. 

No caso das drogas a criminalização é mantida única e exclusivamente porque é dinheiro certo nos bolsos dos capitalistas. Enquanto o aborto não é legalizado pois ele é um caminho certo para a independência da mulher, que deve a todo custo se livrar da escravidão da maternidade e do trabalho doméstico. 

Outro lado é que tanto as drogas quanto o aborto não são crimes  para a burguesia, que usam drogas em suas festas, em suas casas e sabe-se lá onde mais. Já o aborto é realizado de forma segura e sigilosa para as mulheres da burguesia, que tem dinheiro para pagar uma clinica particular e não morrer num ato inseguro. 

É importante pontuar que junto com essas legalizações, devem vir os programas de saúde pública e gratuita, isto é, no SUS, que todos sabemos irão diminuir drasticamente as perdas de vidas tanto pelo uso abusivo de drogas quanto por aborto inseguro. 

Em relação ao aborto, um programa de educação sexual para crianças e adolescentes: Uma criança orientada em relação a sexualidade, saberá por exemplo o que é um abuso sexual, podendo então falar com um adulto de sua confiança e ser poupada dessa agressão. Em relação aos adolescentes que têm orientação sexual, a gravidez precoce é drasticamente diminuída, a vida sexual dos adolescentes se inicia mais tarde e ainda tem a questão da proteção de doenças sexualmente transmissíveis. Programa de planejamento familiar também faz parte do pacote da legalização do aborto, onde mulheres e/ou casais são orientados nos métodos contraceptivos, e outras orientações que possibilitam que planejem a chegada de um filho ou quem não quer ter filhos, não os tenha.   

Em relação às drogas, sabemos que a grande maioria das pessoas as usam para dar conta dos infortúnios da vida, sejam eles quais forem. O capitalismo não oferece serviços dignos e realmente eficazes, e nas poucas situações que eles surgem, pois existem profissionais com conhecimento e competentes para os realizar, o estado os destrói para colocar uma organização social sem fins lucrativos no lugar. A perversão das perversões.

Também é bom salientar, que as Igrejas pressionam para que não haja orientação sexual para crianças e adolescentes, que pressionam mulheres a serem mães independente de sua vontade, mas essas questões não são do âmbito da religião, são da saúde pública, de qualidade e gratuita. Além disso, o Estado e os capitalistas utilizam a questão das drogas e do aborto para alimentar a indústria das prisões, nos EUA, inclusive, a maioria das prisões é privada ou administrada pela iniciativa privada.

No Brasil…

Em 2014, uma mulher deu entrada em um hospital em Marília, interior de São Paulo. Ela estava grávida e sentindo dores e foi atendida. Horas depois, saiu presa em flagrante sob a acusação de ter provocado um aborto. O Ministério Público pediu arquivamento do processo no ano seguinte, após concluir que as investigações não constataram crime. Ao que tudo indicava, ela teve um aborto espontâneo. Mas só cinco anos depois o Tribunal de Justiça de São Paulo ordenou que o hospital pagasse uma indenização de R$5 mil por danos morais.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.