Desemprego

A cada três desempregados, dois são mulheres

Mulheres, setor mais oprimido na economia neoliberal, é o que mais sofre com as políticas golpistas, o que as limita ao trabalho doméstico compulsório

desemprego

Desemprego cresce entre as mulheres de 17 a 29 anos com baixa escolaridade. – Reprodução.

Em um dos últimos estudos realizados pela Secretaria de Política Econômica do Governo Federal sobre o desemprego no Brasil, foi apontado que aqueles que mais sofrem com a falta de emprego são jovens de 17 a 29 anos, pessoas de baixa escolaridade e, em especial, mulheres. Em média, a cada três pessoas procurando emprego há pelo menos dois anos, duas delas são mulheres, o que não é uma surpresa, visto as políticas neoliberais que têm se instaurado cada vez mais no Brasil e que têm submetido as mulheres a trabalhos informais e muitas vezes restritos à casa.

Para Luís Moura, economista sergipano que também é dirigente do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese) do estado, a intensa crise econômica que assola o Brasil há dois anos tende a afetar os “extremos”: jovens, mulheres e pessoas com baixa escolaridade, em essência. Não é coincidência, uma vez que a chegada do presidente fascista Jair Bolsonaro e o aprofundamento das políticas neoliberais se deram há dois anos.

Artigos Relacionados

Atualmente, o país conta com 15 milhões de desempregados, o que equivale a 14,7% da população. Os estados mais afetados são Bahia, Pernambuco, Sergipe e Alagoas, que também são os mais ignorados pelo governo federal golpista e neoliberal. Luís Moura também aponta que quanto mais tempo alguém passa fora do mercado de trabalho, mais difícil se torna a sua recolocação profissional, o que torna a reversão do desemprego uma questão ainda mais difícil. Muitas vezes o indivíduo se adapta à sua condição de desempregado, aderindo a empregos informais para sobreviver. As mulheres, as mais afetadas pela crise, acabam sucumbindo à vida doméstica, situação da qual é ainda mais difícil sair e procurar por capacitação profissional para que possam se colocar no mercado de trabalho.

O golpe realizado em 2016 foi apenas uma faísca abrindo caminhos para a situação deplorável em que nos encontramos hoje, nacionalmente. O presidente fascista Jair Bolsonaro e sua liga golpista apenas intensificaram os planos que já haviam sido colocados em prática desde então. Com isso, direitos como o Bolsa Família, que apesar de não resolver o problema, facilitava com que estas pessoas não ficassem desempregadas. Porém, apenas o Bolsa Família não é a chave para resolver o problema. Em meio a uma pandemia e à séria crise sanitária e econômica, o auxílio emergencial irrisório também não contribui em grande medida para a solução.

A chave para o emprego e o fim da prisão doméstica como única opção às mulheres está na tomada das ruas pelo fora Bolsonaro e pelo auxílio digno, para que mulheres e jovens tenham direito ao emprego, à saúde, educação, lazer e segurança. Somente um governo dos trabalhadores poderá garantir isso para as mulheres e a classe operária.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.