usina nuclear

Crise energética em tempos adversos

Esquerda "plim plim"

Antes a esquerda queria o fim da Globo, hoje a idolatra

Concessão do monopólio dos Marinho termina em 5 de outubro e aqueles que pediam a sua cassação no passado, hoje são os maiores defensores do grupo

É preciso por um fim na concessão da Rede Globo! – Reprodução

Quando eleita em 2014, uma das principais cenas que marcaram a comemoração da vitória de Dilma Rousseff foram os gritos da população de “o povo não é bobo, abaixo a Rede Globo”. O canto sendo transmitido ao vivo em pleno horário nobre da empresa não pôde ser abafado, causando constrangimento nos repórteres e deixando claro a partir deste momento o embate político que existia entre as forças golpistas, com fundamental apoio da Rede Globo, e o governo eleito.

A porta-voz do golpe e do imperialismo

A impopularidade da rede de televisão apenas aumentou com o golpe de Estado. Convocando os atos golpistas e servindo de propaganda para o golpe, a Rede Globo foi peça chave na derrubada de Dilma Rousseff, tornando-se uma das mais destacadas inimigas do povo brasileiro. Desde então a revolta contra a Globo aumentou, por muito se falou em revogar a concessão antidemocrática feita à família Marinho, que detém há décadas o maior monopólio do rádio e televisão no Brasil. No entanto, nas vésperas do fim da concessão pública feita à Globo, para ocorrer no dia cinco de outubro, o debate sumiu do programa da esquerda brasileira, que em meio às eleições decidiu ser a principal aliada da rede golpista.

Artigos Relacionados

Enquanto a extrema-direita encabeçada por Jair Bolsonaro decidiu se colocar como os representantes da luta “anti-sistema”, demagogicamente atacando a Rede Globo e a jornalista Vera Magalhães, uma das principais articulistas na imprensa burguesa do golpe de Estado, a esquerda brasileira, e ainda mais o PT, decidiu por defender a jornalista e a rede da família Marinho, esquecendo totalmente quem é Vera Magalhães.

Quem é Vera Magalhães?

Desde antes da eleição de 2014, a Rede Globo dedicou todo seu tempo para atacar os governos do PT e promover a política do golpe de Estado. Em meio a isto, uma das principais jornalistas da Globo e TV Cultura, Vera Magalhães, tornou-se destaque na campanha golpista, protagonizando um dos principais “escândalos” do mensalão quando supostamente flagrou o ministro do STF Lewandowski conversando com o irmão por telefone, em um restaurante em Brasília. Segundo Vera, o ministro teria falado que procurava aliviar os ataques feitos ao então Ministro-Chefe da Casa Civil, José Dirceu.

Uma década depois, a “vítima” Vera Magalhães participou diretamente da campanha que elegeu Jair Bolsonaro. Vera também é a típica jornalista da imprensa golpista, tendo passagens pela Veja, Jovem Pan, Estadão, Folha de São Paulo, etc. Tornando os ataques feitos por Bolsonaro e o deputado Douglas Garcia, apenas um fato de comum acordo com todos os trabalhadores brasileiros.

Dessa forma, a esquerda se juntou na campanha de defender as “instituições” golpistas, assim como a própria imprensa golpista contra as falas demagógicas da extrema-direita. Ao defender Vera Magalhães e a Rede Globo, a esquerda de conjunto se coloca ao lado do seu maior inimigo, do principal e mais poderoso setor da burguesia, que mais que a extrema-direita, quer esmagar Lula e os trabalhadores a todo custo.

É preciso por um fim na concessão da Rede Globo!

No dia cinco de outubro, o vencimento da concessão feita à Rede Globo ocorrerá, porém apenas o Partido da Causa Operária vem colocando em destaque este problema fundamental. A esquerda permitirá mais 15 anos de existência de uma das mais antidemocráticas e golpistas redes de rádio e televisão existentes? Com a política atual seguida pela esquerda pequeno-burguesa, sim.

A atitude presente nos demais partidos da esquerda revela a inexistência de uma política própria, se colocando à reboque da Rede Globo e da própria burguesia golpista. A defesa da Globo é a defesa do golpe de Estado, daqueles que promoveram a ditadura militar, os candidatos da burguesia durante todas as últimas décadas, dos responsáveis por derrubar Dilma, prender Lula e eleger Bolsonaro.

Defender a Globo não é democrático, democrático é defender o fim da concessão dada pelo Estado para este monopólio controlado pelo imperialismo. Uma rede de rádio e televisão democrática, não pode estar na mão de uma família, mas sim das organizações populares, dos trabalhadores, dos sindicatos, etc.

A Rede Globo nada mais é que a imprensa porta-voz do imperialismo no Brasil. Uma família que controla a vida de milhões de brasileiros, uma verdadeira ditadura criminosa contra todo o povo.

É necessário neste mês de outubro recolocar a política de fim da concessão da Rede Globo. Para derrotar o golpe e o imperialismo, é preciso democratizar a imprensa brasileira, acabar com o controle ditatorial da família Marinho e outras poucas famílias que detêm em suas mãos toda a “verdade” no país.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.