Menu da Rede

Cuba, Bolívia e o hálito pútrido do Imperialismo

Pedófilos e Assassinos

PMs assediam, agridem e ameaçam matar alunos no interior do PR

No Paraná, já ocorrem vários casos de policiais causando problemas nas escolas.

Polícia Militar – Foto: Reprodução

Receba o DCO no Email

No dia 27 do último mês, foi preso um Policial de escola militar na cidade de Francisco Beltrão, Paraná. O policial foi preso por acusações de assédio, várias alunas relataram terem sido vítimas dos abusos.

O nome da escola, bem como o nome do policial, não foram revelados por decisão do Ministério Público que procura abafar o caso. 

Artigos Relacionados

A investigação teve início após uma série de denúncias vindas de alunas, o policial se utilizou de seu status dentro da escola militar para assediar várias garotas menores de idade.

Os relatos afirmam que o PM revistava regularmente as alunas – algo que não é permitido – com a intenção de apalpar crianças e pré-adolescentes. O início da investigação surgiu após um grupo de garotas constrangidas perguntarem se seria normal um militar realizar a revista em alunas mulheres com tanta frequência.

“Art. 249. A busca em mulher será feita por outra mulher, se não importar retardamento ou prejuízo da diligência.” Constituição Federal de 1988

Outros relatos também afirmam que o PM costumava oferecer carona às alunas. Quando elas aceitavam a carona, o policial assediava-as no trajeto. 

Várias denúncias anônimas foram dirigidas ao Ministério Público do Paraná. O mesmo órgão deu um depoimento onde afirma ter “encaminhado ofício à Chefe do Núcleo Regional de Educação para que fossem tomadas as medidas necessárias e afastamento do diretor, bem como requisitou instauração de inquérito policial”.

“A Promotoria de Justiça da Comarca de Francisco Beltrão manterá o acompanhamento por meio do Procedimento Administrativo acima mencionado, visando o encaminhamento das alunas envolvidas para atendimento psicológico”, diz o Ministério Público.

Ainda no Paraná, mas dessa vez na escola militar de Imbituva, região centro-sul do estado, também houveram denúncias contra policiais nas escolas, mas dessa vez pois o PM socou e ameaçou matar um aluno. Os denunciados foram o monitor e o diretor do colégio.

Por qual motivo? O aluno desenhou uma folha de maconha em sua carteira escolar. O policial removeu o aluno da sala, durante a aula, para dar-lhe uma bronca.

O policial afirmou “que já tinha matado vários e que ele não iria fazer diferença”, sobre o aluno que desenhou uma folha de maconha. Após a ameaça, o professor ainda deu um soco na nuca do aluno.

O diretor do colégio, após as denúncias, ainda tentou encobrir o caso para que o PM não sofresse punição, solicitando aos psicólogos, pedagogos e assistentes sociais do município que não levassem o caso ao MP.

Além de tentar encobrir o caso de modo extremamente corrupto, o diretor ainda afirmou, em conversa com a secretaria da Assistência Social de Imbituva que “ficou sabendo que já teve um caso de uma criança da Casa Lar tacar fogo no carro do conselho, que Deus o livre se fizer isso com meu carro, ainda bem que não tenho porte de arma”, como uma espécie de ameaça, pois, caso tivesse uma arma, mataria o aluno.

Ou seja, somente no Paraná, existem casos de policiais que batem e ameaçam matar os alunos e existem os que assediam, em todos os casos as vítimas são menores de idade; para piorar.

Como se pode ver, estes porcos fardados cometem várias atrocidades diariamente, não somente nas escolas mas também na rua, matando, roubando e torturando a torto e a direito.

É necessário denunciar todas as atitudes fascistas e truculentas da polícia militar e defender o FIM dessa organização vigária e asssassina dos trabalhadores; organização que defende quem bate em criança, pedófilos, assassinos e torturadores.

Enquanto a PM existir, ela continuará com sua política de repressão contra os jovens estudantes. Por isso, é mais que necessário defender o fim das polícias e a desmilitarização das escolas. Lugar de militar é no quartel, não nas escolas.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.