Menu da Rede

Veja quem são os principais candidatos do PCO no Sul do País

Volta às aulas

Folha defende genocídio no Amazonas

Em meio à explosão de casos de coronavirus no estado, Folha de S. Paulo defende volta às aulas sob o pretexto da defesa da educação

Corpos enterrados em vala comum no Amazonas. – Foto: Reprodução

Receba o DCO no Email

Em sua coluna no jornal golpista Folha de S.Paulo, a jornalista Laura Matos se disse indignada com o fato de que no terceiro ano de Covid o governo do Amazonas, tenha se decidido por adiar a volta às aulas devido a expansão da onda causada pela nova cepa ômicron. A colunista argumenta que está preocupada com a falta de aulas para os nossos jovens, uma hipocrisia sem tamanho levando se em conta de que ela fala de um dos estados com os serviços públicos ,incluídos os de educação, mais sucateados do País. Segundo o censo escolar de 2014 sobre a educação no Amazonas, na rede municipal, 62% das escolas não têm bibliotecas, 89% sem salas de leitura, 77% não têm quadras de esporte, 71% não são atendidos pela rede pública de água, 76% não têm coleta de esgoto e 70% não têm dependências acessíveis às pessoas com deficiência. Já na rede estadual, 30% das escolas não têm biblioteca, 90% não têm sala de leitura, 53% não têm quadra de esporte, 53% não têm internet banda larga, 57% não têm água da rede pública, 85% não têm coleta de esgoto público, e 90% não têm acessibilidade. Esses dados continuaram iguais ou piores no censo do ano de 2020, ou seja, se a colunista realmente se preocupa com a educação das crianças e jovens do Amazonas, deveria estar chamando a atenção, já há muito tempo, para outros fatores e não simplesmente aparecer agora e se colocar contra a interrupção das aulas em meio a uma pandemia.

O Amazonas vem sofrendo uma escalada no número de casos da covid, chegando a ter quase cinco mil novos casos em um único dia no mês de janeiro e o número de pacientes que necessitam de leitos de UTI mais que dobrou desde o início do ano. No estado, os leitos de enfermaria, com 271 internados por Covid-19, também pressionam o sistema de saúde. A ocupação nesta terceira semana de janeiro já era 561% maior que a registrada no dia 1º, quando havia 41 pessoas hospitalizadas.

Artigos Relacionados

A maior pressão, diga se de passagem,  se deu sobre os leitos clínicos infantis. O número de crianças internadas subiu de três em 1º de janeiro para 40 no dia 17do mesmo mês. O percentual de ocupação deste tipo de leito atingiu 80%. A ocupação de leitos clínicos infantis atual supera a registrada na véspera do segundo colapso do sistema de saúde. Dez dias antes do sistema de saúde colapsar com falta de oxigênio, em 14 de janeiro de 2021, o Amazonas tinha 20 crianças internadas, entre leitos clínicos e sala vermelha (criada para esperar por UTI).

Diante deste quadro, não resta dúvida de que a volta às aulas nesse momento colocaria a população amazonense na trilha de um novo desastre como ocorrido no início da pandemia, quando pessoas morriam sufocadas nos hospitais. É preciso denunciar que a defesa que o jornal golpista faz do retorno às aulas nada tem a ver com a preocupação com a educação dos nossos jovens mas sim com os interesses dos empresários do ramo da educação que já se transformou em um verdadeiro negócio onde importa muito mais o lucro gerado para os capitalistas do que a formação dos estudantes. Aos bancos também muito interessa esse retorno já que os estudantes ativos colocam a economia para funcionar com todos os gastos que decorrem do dia a dia. A Folha de S. Paulo, jornal que se diz a favor da ciência, ignora os dados da realidade e ao invés de pedir investimentos nos serviços públicos de saúde faz campanha para que haja uma nova tragédia no Amazonas e dessa vez tendo como protagonista a juventude. É preciso repudiar veementemente esse tipo de campanha, a juventude amazonense deve se organizar em comitês estudantis e se colocar firmemente contra o retorno às aulas até que a pandemia esteja realmente controlada.

A você que chegou até aqui,

agradecemos muito por depositar sua confiança no nosso jornalismo e aproveitamos para fazer um pequeno pedido.

O Diário Causa Operária atravessa um momento decisivo para o seu futuro. Vivemos tempos interessantes. Tempos de crise do capitalismo, de acirramento da luta de classes, de polarização política e social. Tempos de pandemia e de política genocida. Tempos de golpe de Estado e de rebelião popular. Tempos em que o fascismo levanta a cabeça e a esquerda revolucionária se desenvolve a olhos vistos. Não é exagero dizer que estamos na antessala de uma luta aberta entre a revolução e a contrarrevolução. 

A burguesia já pressentiu o perigo. As revoltas populares no Equador, na Bolívia e na Colômbia mostraram para onde o continente caminha. Além da repressão pura e simples, uma das armas fundamentais dos grandes capitalistas na luta contra os operários e o povo é a desinformação, a confusão, a falsificação e manipulação dos fatos, quando não a mentira nua e crua. Neste exato momento mesmo, a burguesia se esforça para confundir o panorama diante do início das mobilizações de rua contra Bolsonaro e todos os golpistas. Seus esforços se dirigem a apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe, substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular. O Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra a burguesia, sua política e suas manobras. 

Diferentemente de outros portais, mesmo os progressistas, você não verá anúncios pagos aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos de maneira intransigente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Trabalhamos dia e noite para que o DCO cresça, se desenvolva e seja lido pelas amplas massas da população. A independência em relação à burguesia é condição para o sucesso desta empreitada. Mas o apoio financeiro daqueles que entendem a necessidade de uma imprensa vermelha, revolucionária e operária, também o é.  

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com valores a partir R$ 20,00. Obrigado.

SitesPrincipais
24h a serviço dos trabalhadores

DCO

O jornal da classe operária
Sites Especiais
Blogues
Movimentos
Acabar com a escravidão de fato, não só em palavras
Outros

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Diferentemente de outros portais , mesmo os progressistas, você não verá anúncios de empresas aqui. Não temos financiamento ou qualquer patrocínio dos grandes capitalistas. Isso porque entre nós e eles existe uma incompatibilidade absoluta — são os nossos inimigos. 

Estamos comprometidos incondicionalmente com a defesa dos interesses dos trabalhadores, do povo pobre e oprimido. Somos um jornal classista, aberto e gratuito, e queremos continuar assim. Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.

Quero saber mais antes de contribuir

 

Apoie um jornal vermelho, revolucionário e independente

Em tempos em que a burguesia tenta apagar as linhas que separam a direita da esquerda, os golpistas dos lutadores contra o golpe; em tempos em que a burguesia tenta substituir o vermelho pelo verde e amarelo nas ruas e infiltrar verdadeiros inimigos do povo dentro do movimento popular, o Diário Causa Operária se coloca na linha de frente do enfrentamento contra tudo isso. 

Se já houve um momento para contribuir com o DCO, este momento é agora. ; Qualquer contribuição, grande ou pequena, faz tremenda diferença. Apoie o DCO com doações a partir de R$ 20,00 . Obrigado.